Contribuições de Marx para a sociedade atual

Apesar de importante, as obras de Karl Marx não foram tão valorizadas na época em que foram publicadas. Todavia, de muitos documentos produzidos naquele tempo, com certeza “O Manifesto Comunista” é um dos mais marcantes. Economista, filósofo e socialista alemão, Marx publicou junto com Paris Friedrich Engels, em 1848, “O Manifesto Comunista”, livro / folheto que apesar de ter sido escrito há mais de 150 anos retrata bem a sociedade atual. Em suas obras, Marx trabalha bastante a diferença entre classes e suas relações, o opressor e o oprimido, uma luta de classes que sempre existiu e possivelmente sempre existirá.


As contribuições de Marx foram para os campos da economia, política e até mesmo, filosofia. Os costumes e a cultura podem ter mudado, mas a sociedade continua seguindo a mesma direção. ‘O Manifesto Comunista’ toca em assuntos como a miséria e a exploração do trabalho, que continuam presentes, e é uma ferramenta que poderia ter a capacidade de mudar o mundo.

No trabalho ‘Marxismo’, escrito pelo mestrando em Ciência Política: Cidadania e Governação, Pedro Conceição Carvalho conta que a origem do socialismo estava relacionada aos antagonismos de classes nas sociedades industriais do século XIX. Nesta época, existiram algumas correntes que eram contra os principais criadores das injustiças sócias, como a industrialização capitalista, a burguesia patronal e o liberalismo econômico dos regimes vigentes e a proposição de abolir as diferenças sociais pela reconstrução da economia, do Estado e da sociedade.

No princípio o socialismo era uma corrente formada por românticos e utópicos, que baseavam suas ideologias em reflexões pessoais, motivadas por sentimentos humanitários e éticos. Somente na metade do século XIX que o socialismo encontrou teóricos como Karl Marx e Friedrich Engels, que tinham um cunho mais científico e menos utópico. “Este novo socialismo teve como principal mentor Karl Marx, filósofo, político e historiador cujo pensamento, o marxismo, forneceu ao socialismo uma base científica, definindo-lhe com clareza os objectivos e meios de luta”, argumenta Carvalho.

Marx elaborou uma nova teoria científica da evolução das sociedades e chegou a uma série de conclusões que podem ser resumidas em alguns pontos como: a constante transformação das idéias e dos homens tinha como papel essencial e dinâmico a realidade exterior; A importância da realidade econômica, pois dela depende a sobrevivência e essa determina as relações de produção, relações sociais e relações políticas; A dinâmica de luta de classes, através das relações sociais e interesses antagônicos, entre os que dominam e se submetem aos bens de produção e mecanismos econômicos; A evolução das sociedades humanas como uma sucessão de modos de produção (elite dominadora e minoria).

O comunismo é um novo modo de produção preconizado por Marx que procurava acabar com este ciclo evolutivo, acabar com o capitalismo e seus males, em que as propriedades privadas seriam abolidas e seriam geridas pelo Estado para todos, de forma a desaparecer as classes e seus antagonismos. A luta individual pela existência acabaria e a liberdade poderia ser verdadeiramente alcançada, possibilitando até mesmo um melhor aproveitamento das riquezas e uma justa distribuição.

Na concepção sociológica de Marx, as classes são bem divididas. Uma classe é a dos operários e outra é a dos capitalistas, ambas são antagônicas, já que o beneficio de uma é inversamente proporcional aos beneficio da outra. Na visão histórica, as condições determinariam o futuro, e isso tornaria o futuro previsto e imutável, uma vez que as pessoas são produtos da realidade histórica.

Para a sociedade atual as teorias de Marx caracterizam a tentativa de compreender e definir o ser humano pela religião, pela linguagem, pela consciência, embora o que de fato caracteriza o individuo é a analise das condições de existência social.

A importância de Marx para a sociedade atual é fundamental, pois este propôs ‘soluções’ e refletiu o funcionamento das relações existentes nas diferentes esferas: política, econômica e social. Marx propôs novas formas de enxergar o mundo e a sociedade em que vivemos, que continua seguindo o mesmo ciclo de modos de produção. Mudam-se os cenários e os protagonistas, mas os papéis de dominador e dominado sempre estão presentes na história da vida.
Share on Google Plus

Sobre Ben Oliveira

Ben Oliveira, 25 anos, graduado em Jornalismo, blogueiro e escritor com alguns contos publicados. Sonha em seguir a carreira de escritor profissional.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

3 comentários :

  1. MUITO BOM,,,, GOSTEI BASTANTE MIM AJUDOU MUITO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  2. muito bom o texto....

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!