Pular para o conteúdo principal

Destaques

Autísticos: Reabertura do meu perfil no Facebook

Já que fechado ou aberto, as coisas do meu perfil sempre vazam. Plot twist: Perfil no Facebook reaberto.


Muita gente não estava conseguindo compartilhar as coisas que posto no perfil e a fan page limita o alcance orgânico.

Podem se divertir fuçando. Agora, arrancar informações de mim, é um jogo que eu adoro jogar e me fazer de sonso, como muitos de vocês do mundo do autismo que manipulam de todos lados, acham que Aspergers são.

Vocês sempre esquecem de duas coisas: todo Asperger é diferente; eu tenho altas habilidades.

Dica: não me leiam literalmente. Sou escritor. Não tentem supor qualquer coisa sobre mim ou o que eu posto. Adoro brincar com as palavras e me divirto com alguns de vocês espalhando coisas minhas. Meu hiperfoco é livro e literatura. Para quem acha que tudo o que posto é indireta ou ameaça, que seja, vai sofrer de curiosidade mesmo.

Para quem faz merda e está com medo, pode ficar com medo. Nunca disse que jogava de lado algum. Vocês me colocaram no jogo, agora me engulam…

Espectro Autista: Vivência, autonomia e preconceito

Hoje é dia de TBT. Foto tirada há 10 anos, quando morei em Florianópolis (SC). Eu tinha 18-19 anos na época. Foi a primeira vez que morei fora sozinho.


O que eu acho mais engraçado é que já vivi tantas experiências e com 29 anos na cara, muita gente acha que o fato de eu ter um diagnóstico tardio de Asperger na vida adulta faz toda minha bagagem desaparecer, como se minha vida se resumisse a minha condição neurológica e eu tivesse passado a minha vida inteira dentro de uma bolha: visão completamente errada de mim.

Tem um nome para isso: preconceito / capacitismo (achar que meu diagnóstico me limita). Ter um diagnóstico não me faz regredir, justamente o contrário; me deu inúmeros conhecimentos sobre mim mesmo que eu não tinha antes.

Sempre me aventurei nas minhas escolhas e tenho sorte de sempre poder contar com o apoio da minha mãe que nunca me impediu de fazer nada, independente do meu jeito 'diferente' de ser. Não é por acaso que me tornei escritor independente.

Foi nesse mesmo período que me iniciei no jornalismo e na escrita. Para quem não sabe, meu blog também já tem quase 10 anos (completa em junho). Eu amava fotografar e tinha mais facilidade com fotografia do que com a escrita.

O blog surgiu como uma forma de espalhar meu hiperfoco de jornalismo (na época, eu não sabia do termo, é claro, mas meu blog acabou se tornando um espaço para compartilhar meus conhecimentos e conseguir me conectar com os outros). Antes do blog de jornalismo, há mais de dez anos, eu escrevia sobre filmes (especialmente de terror) e séries.

A internet fez e faz muita diferença na vida de pessoas no espectro. Desde aplicativos que facilitam nossa vida (Oi, iFood), até ferramentas de comunicação. Sem as redes sociais, eu não teria conhecido metade das pessoas que já conheci. Quem me vê na internet e me vê ao vivo, conhece duas pessoas diferentes; o mesmo quando tenho intimidade e quando não tenho intimidade.

Não gosto de focar no lado negativo de Aspergers, mas nesse período, tantas coisas aconteceram na minha vida, que eu precisava de um choque de realidade para acordar e ver como as pessoas realmente são.

Influenciado por livros, filmes e séries, até então, eu era uma pessoa festeira e que acreditava nos outros, como personagens ingênuos da Disney. A ingenuidade é uma das características de pessoas no espectro, mas é algo que alguns aprendem a mudar com os tapas da vida.

Dez anos depois, sou uma pessoa que conhece muito bem o lado sombrio do ser humano, seja como escritor de terror ou hiperfocado em comportamentos humanos.

Ninguém pode voltar no tempo e mudar o passado, mas a gente pode aprender e muito com ele. O Ben de Dez Anos Depois sacudiria o Ben de Dez Anos Antes se pudesse. Como não podemos alterar nossas histórias, podemos pelo menos ajudar os outros com o que a vida nos ensinou.

Ainda sou a pessoa que gosta de filmes da Disney e de terror, mas também sou a pessoa que sabe que a linha entre a ficção e não-ficção é mais fina do que imaginamos e que alguém sempre paga o preço da ingenuidade.

Tanto para pessoas no espectro quanto para pessoas fora: eu não preciso me encaixar nas caixas que vocês tentam me colocar. Se eu ganhasse um centavo a cada vez que falam de mim, já teria acumulado algum dinheiro. Vocês podem aproveitar e usar o tempo para comprar meus livros e/ou compartilhar meus conteúdos.

Fênix dez anos antes, Fênix dez anos depois. Me reinvento todos dias.


“Nunca deixe o medo de errar impedir que você jogue” – Babe Ruth



PS: Embora eu não tenha ido atrás dos papeis de altas habilidades (e não tenha interesse), minhas vivências e memórias apontam para essa direção (Dupla Excepcionalidade: Aspergers com Altas Habilidades), tanto a nível de conhecimento e inteligência quanto na questão da autonomia e uma vida inteira de camuflagem do autismo. Se algum dia tiver interesse no papel de neuropsicológico, que seja mais do que para o meu ego: pois no momento, não teria utilidade alguma para mim.

PS2: Eu não compartilho minhas vivências para gerar comparações, mas acho importante mostrar que existe essa diversidade dentro do espectro autista e que dois Aspergers/autistas podem ser bem diferentes. Isso não me torna 'não-autista', só me torna mais adaptável. Autistas com mais autonomia podem sofrer preconceito de profissionais da área de saúde desatualizados, familiares de autistas de outros graus (ou até do mesmo grau) e por outras pessoas no espectro autista (Aspergers que não entendem que somos todos diferentes).

Meditação e yoga me fizeram muito bem. Nem por isso eu acho que isso será bom para todos. Somos todos diferentes. É preciso bom senso na hora de indicar caminhos.


“Meditamos para descobrir, para recuperar ou para desenterrar de nós mesmos alguma coisa que um dia tivemos e que perdemos sem sabermos o que era e quando a perdemos” – Lawrence LeShan

*Ben Oliveira é escritor, blogueiro e jornalista por formação. É autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e dos livros de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1) O Livro (Vol. 2), disponíveis no Wattpad e na loja Kindle.


Algumas indicações de livros:


O poder da adaptação: https://amzn.to/2VqX19z

O poder da paciência: https://amzn.to/2VsF4Y8

A Diferença Invisível: https://amzn.to/2YkJqNI

Me acompanhe nas redes sociais:


Facebook: https://www.facebook.com/benoliveiraautor/

Twitter: https://twitter.com/Ben_Oliveira

Instagram: https://www.instagram.com/benoliveira/

YouTube: https://www.youtube.com/c/BlogdoBenOliveira

Comentários

Mais lidas da semana