Pular para o conteúdo principal

Destaques

Um Conto Taiwanês de Duas Cidades: Série de romance e drama explora raízes, sonhos e amores

Uma série de romance e drama sobre duas mulheres conectadas por suas raízes de Taiwan, mas que seguiram caminhos bem diferentes e com personalidades moldadas pelas cidades em que viveram: enquanto uma cresceu em San Francisco, nos Estados Unidos, a outra passou a vida inteira em Taipei. A série A Taiwanese Tale of Two Cities (Um Conto Taiwanês de Duas Cidades, 2018) balanceia os idiomas e experiências culturais dos dois países, criando uma experiência prazerosa para quem deseja visitar ambos destinos turísticos. Essa produção taiwanesa foi um dos achados na Netflix . A mulher que nunca saiu do país, abraça as raízes da medicina chinesa e por causa do seu histórico de saúde frágil abriu mão de muitas coisas fora de sua zona de conforto, Lee Nien-Nien (Tammy Chen) que coincidentemente sonhava em conhecer San Francisco, acaba conhecendo a taiwanesa-americana Josephine Huang (Peggy Tseng), que embora tivesse curiosidades sobre sua origem, passou praticamente a vida toda nos Estados Unidos

Espectro Autista: Filas Preferenciais, Direito e Constrangimento

Estamos no mês de conscientização do Autismo e vou aproveitar a situação que aconteceu hoje para dizer algo. Não chega a ser um desabafo, mais um puxão de orelha.


Você sabia que muitos autistas adultos evitam usar a fila preferencial pelo medo de serem julgados e mal interpretados pelos outros? Não sabia? Agora, sabe!

Veja bem, muitos autistas são considerados 'altamente funcionais' aos olhos da sociedade, termo que não só é meio ridículo, como faz com que sejamos julgados dentro e fora da comunidade autista. Para alguns, nós, Aspies (Síndrome de Asperger), "não somos autistas o suficiente". Muita gente não entende o significado do termo espectro autista e deveria estudar/pesquisar/se informar, antes de querer palpitar, até porque, para muitos autistas, o próprio autismo se torna um Hiperfoco (assunto de interesse que podemos falar durante horas).

Chegando ao ponto: evitamos usar filas preferenciais. Não porque não podemos (é um direito garantido por lei internacional), mas pelo constrangimento. Hoje, decidi usar a fila, pois estamos em tempos de Pandemia. Infelizmente, ainda não tenho minha máscara e luvas, e precisei ir ao supermercado. Na fila, recebi olhares de julgamento (e juro que não é por causa do meu cabelo, independente da cor, vários autistas e familiares de pessoas no espectro passam por isso diariamente).

Minha sugestão é: evite julgar uma realidade que você não conhece. Na dúvida, evite os olhares tortos. É normal sentir curiosidade, eu mesmo sou extremamente curioso; o que não é normal, é ser desagradável. Muitos de nós carregamos nossos laudos na carteira. Mas não precisamos esfregar na cara dos outros. Evitamos ao máximo saias justas, afinal, o simples fato de sair de casa e ter que interagir já não é tão confortável. Só queria deixar essa reflexão mesmo. Independente da aparência, o autismo está no cérebro (condição neurológica), Informe-se mais e julgue menos. Aos que leram até o final, obrigado. 🙏✨

Sobre o autor – Ben Oliveira foi diagnosticado autista (Síndrome de Asperger) aos 29 anos, é escritor, formado em jornalismo. Autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e dos livros de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1) e O Livro (Vol. 2), disponíveis no Wattpad e na loja Kindle.




Para ficar por dentro das minhas novidades:

Comentários

Mais lidas da semana