Pular para o conteúdo principal

Destaques

Garota Exemplar: 5 Trechos do Livro escrito por Gillian Flynn

Garota Exemplar .JPG

Alguns dos meus trechos favoritos do livro Garota Exemplar, da Gillian Flynn:
“Não quero ser mais um exemplo de menina, porque não adianta agradar o mundo todo e eu mesma ficar infeliz”
“Ser a Garota Legal significa que sou uma mulher gostosa, brilhante, divertida, que adora futebol, pôquer, piadas indecentes e arrotos, que joga vídeo game, bebe cerveja barata, adora ménage à trois e sexo anal… Garotas Legais são acima de tudo gostosas. Gostosas e compreensivas. Garotas Legais nunca ficam com raiva. Apenas sorriem de uma forma desapontada e amorosa e deixam seus homens fazerem o que quiserem. Vá em frente, me sacaneie, não ligo, sou a Garota Legal”
“Então isso tinha que parar. Ser comprometida com Nick, me sentir segura com Nick, ser feliz com Nick, me fez perceber que tinha uma verdadeira Amy aqui, e ela era muito melhor, muito mais interessante, complicada e desafiadora que a Amy legal. Nick queria a Amy legal de qualquer jeito. Você consegue imaginar? Finalmente mo…

Sobre relacionamentos abusivos, traições e pessoas que escolhem o lado errado | Ben Oliveira

Admiração é uma palavra que vai e vem. Adoro brincar com números e palavras, embora meu coração seja todo de humanas.


Nunca antes meus olhos desencantaram com tanta velocidade para algumas pessoas. Relacionamentos íntimos trazem histórias que ninguém por fora imagina. 

Mas quando falamos de alguém que mente, manipula e trai virtualmente com a naturalidade de como se fosse respirar, muita gente acha que eu preciso ter empatia e me silenciar. 

Me pergunto onde está a empatia dessas pessoas pela minha condição, pela pessoa que ficou em um apartamento sozinha, tirando coisas há dias, sem dormir, sem família por perto (28 horas de distância de ônibus), entre tantas outras coisas. 

As pessoas que não fazem a mínima ideia do que aconteceu escolheram lados. Eu nunca pedi ninguém do meu lado, perceba. Pelo contrário, apaguei meus perfis, como uma forma de nunca mais precisar lidar com essas pessoas. 

Então, é assim que pessoas que antes tu admirava, se tornam fantasmas. É assim que histórias se constroem. Pessoas que não fazem a mínima ideia de que estou amparado pela lei. Que não sabem que foi eu que o coloquei no colete salva-vidas antes de pular. 

Gostaria de perguntar uma coisa: onde vocês estavam nesses quatro anos, quando inúmeras crises emocionais aconteciam por parte da pessoa e eu precisava consolar, mesmo sendo alguém no espectro autista? 

Os relacionamentos sociais de vocês eram tão sólidos quanto o ar. Pouco sabiam sobre ele e não sabem nem 1/4. Não sabem que foi eu que consegui consulta em 24 horas, enquanto pra mim, tive que esperar dois meses e quase afundei na depressão por causa dele; não sabem que tive que desmarcar minha psicóloga, pois ele estava usando o meu carro e eu tenho dificuldade com Uber, entre tantas merdas. 

Mais conhecimento e menos julgamento. Minha consciência sempre esteve, está e estará limpa. Pouco me importa o que os outros acham. Mas a hipocrisia e o julgamento de pessoas que não ofereceram um pingo de apoio emocional, me destruíram ontem. 

Em quatro anos em Blumenau, somente duas pessoas me acolheram de forma mais intensa e outros ofereceram ajuda. Mas aqueles que deveriam ficar neutros, não moveram um dedo por mim.

Sobre o autor – Ben Oliveira foi diagnosticado autista (Síndrome de Asperger) aos 29 anos, é escritor, formado em jornalismo. Autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e dos livros de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1) e O Livro (Vol. 2), disponíveis no Wattpad e na loja Kindle.



Para ficar por dentro das minhas novidades:






Comentários

Mais lidas da semana