Pular para o conteúdo principal

Destaques

Revolutionary Love: Série coreana de drama explora o abismo que divide as classes sociais

Embora muitos dramas coreanos pequem na representatividade de diversidade racial e deem pouquíssimo espaço para estrangeiros e imigrantes, a série Revolutionary Love (2017) da tvN e no Brasil disponível temporariamente pela Netflix , acaba indo além dos elementos de comédia e romance, mostrando o drama das diferenças de classes sociais , os preconceitos e a possibilidade de imersão nesse mundo desconhecido pelo filho do dono de um dos maiores conglomerados de empresas da Coreia do Sul . A ingenuidade e a ignorância da realidade das classes trabalhadoras tornam o protagonista um tanto embaraçoso, lembrando de forma vaga a jornada de Buda quando conheceu a realidade fora do palácio e foi confrontado com a fome, a doença, a pobreza e a morte. Longe de ser uma série com alguma alegoria espiritual, mas do ponto de vista do comportamento é interessante acompanhar como Byun Hyuk (Choi Si-won) se torna mais empático e humanizado quando seu caminho cruza com o de Baek Joon (Kang So-ra) . E

Ginga Documenta: Cultura Bovina em Trânsito

Documentário realizado pela Ginga Cia de Dança, de Campo Grande (MS), Ginga Documenta: Cultura Bovina em trânsito, mostra o registro da experiência sensível de bailarinos, coreógrafos, técnicos da Ginga e da percepção público que presenciou o espetáculo "Cultura Bovina?", apresentado pelo Brasil no Projeto Palco Giratório.

A estréia de 'Ginga Documenta: Cultura Bovina' aconteceu no dia 16 de maio em Campo Grande (MS) no Teatro Prosa. O documentário dirigido por Helton Pérez foi realizado por meio do Fundo de Investimentos Culturais de Mato Grosso do Sul (FIC), Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul e Governo do Estado de Mato Grosso do Sul.

"Relatar a recepção ao espetáculo se revestiu de uma importância dupla, tratando de refletir sobre a construção identitária de um estado brasileiro e também de registrar um fato histórico da dança sul-mato-grossense. Esse momento único merecia ser capturado, reproduzido e representado", explica a Ginga Cia de Dança em seu blog.

A versão final do vídeo, com 45 minutos de duração, está disponível para visualização no Youtube desde o dia 23 de junho de 2010.

Comentários

Mais lidas da semana