Pular para o conteúdo principal

Destaques

Sobre rabiscos e telas brancas

A tela branca pode ser um convite à explosão criativa ou uma tortura ao artista que sente seu espírito definhando diante da pesada realidade. Em tempos de crise e ódio, a arte fica esquecida e é vista como desimportante; ironicamente, é quando mais precisamos dela, de algo que nos faça sentir vivo e toque as partes atordoadas.


O som dos dedos se movendo pelo teclado era como fantasmas de uma vida distante. É incrível perceber quantas vezes nós deixamos algumas partes nossas morrerem ao longo de nossas existências; as máscaras, antes tão confortáveis, agora incomodam e não nos servem mais. Leva tempo até ficarmos satisfeitos e ajustados à nova realidade. Viver é admitir que sabemos pouco sobre nós mesmos e há sempre algo novo que pode nos transformar, seja para o bem ou para o mal.

O artista encara a tinta respingando pela tela. Para o espectador sem intimidade, nada faz sentido, a desconexão de ideias é tormentosa; para ele, o lembrete de que sua arte nunca o abandonaria. Como poderia…

Palestrantes abordam redações multimídia

Nesta sexta-feira (19) aconteceu em Campo Grande (MS) o 2º Seminário de Ciberjornalismo de Mato Grosso do Sul. O evento organizado pelo Grupo de Pesquisa em Ciberjornalismo da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul aconteceu no auditório V da Universidade Anhanguera-Uniderp e teve como tema: “A convergência das redações na era da internet”.

No primeiro dia do seminário aconteceram duas videoconferências sobre a convergência das redações. O doutor e professor de jornalismo da University of Texas at Austin, Rosental Calmon Alves, foi o primeiro a abordar as redações multimídia e o novo ecossistema da mídia.

Alves explicou que os estudantes de jornalismo têm o desafio de criar algo novo. Sobre as redações online, ele diz sobre a tendência da convergência, “Não conheço nenhum jornal que tenha mais leitores do jornal impresso do que do jornal online”.

O pesquisador e professor da UFSC Elias Machado argumentou sobre a complexidade do tema e ressaltou que não se deve ver a convergência por somente um dos processos. Para ele, as redações devem se adequar a estes processos, visto que o “fenômeno é planetário”.

“Um projeto elaborado para uma cidade deveria ser diferente para o de outra cidade”, fala o pesquisador sobre a importância da estruturação personalizada das redações e da adaptação dos profissionais que nelas trabalham.

Comentários

Mais lidas da semana