Pular para o conteúdo principal

Destaques

Coronavírus e Saúde Pública: O momento não pede negação nem omissão | Ben Oliveira

Me tirar do sério não é fácil. Tenho mais de 8 anos de prática de yoga e uma paciência quase infinita. Mas quando se trata do que tem acontecido nos últimos tempos, impossível seria me silenciar.


Para começar: muitas pessoas religiosas e espiritualizadas acham erradamente que cultivar a não-violência é se silenciar diante do caos que esse DesPresidente tem causado. Não poderiam estar mais errados, afinal, ser omisso à violência é uma forma de aumentá-la.

O momento não pede negação nem omissão. Os brasileiros elegeram um homem sem empatia, que sempre se demonstrou ser frio, manipulador e ignorante.

Sim, ele é um reflexo de muitos que não tiveram acesso à educação ou desprezam a intelectualidade, mas é também alguém que não está colocando só a própria vida em perigo, mas de milhares de brasileiros ao ignorar as recomendações de saúde, protocolos de pesquisas com medicamentos e conhecimentos BÁSICOS de saúde: qualquer pessoa que tenha um conhecimento raso de biologia, química e estatísti…

Palestra com o jornalista e publicitário Marcelo Siqueira


Marcelo Siqueira na palestra com alunos de Comunicação Social
da UCDB
Foto: Ben Oliveira

Nesta terça-feira (3), às 9h30, aconteceu na Universidade Católica Dom Bosco, de Campo Grande (MS), uma palestra com o jornalista e publicitário Marcelo Siqueira. Convidado pelo coordenador de curso de jornalismo da UCDB Oswaldo Ribeiro, Siqueira falou com os alunos de comunicação social sobre o tema: "Jornalismo, entretenimento e publicidade: Por que não de mãos dadas?".

Formado em Publicidade e Propaganda pela UCDB, o jornalista contou sobre sua participação no primeiro jornal feito pelos alunos da UCDB, conhecido como "Língua Preta", sobre a inauguração da TV UCDB e sobre a 1ª homepage do curso criada. Marcelo Siqueira trabalha na RBS TV de Santa Catarina, em Florianópolis (SC), no Jornal do Almoço, um dos programas com maior share televisivo do Brasil. Com a internet, o programa vem perdendo audiência, e com idéias criativas, como as que você confere a seguir, pode-se reconquistar os telespectadores.

Marcelo Siqueira diz que temos o poder de criar e fazer as pessoas ter necessidades, uma das habilidades dos comunicadores. Para reforçar a importância de uma ação integrada entre jornalismo, entretenimento e publicidade, Siqueira citou alguns projetos que deram certo.

Quando deu a idéia do concurso "Esse terminal é uma passarela", em que o objetivo era escolher a 'Musa do Terminal' de Florianópolis (SC), o jornalista conta que na época não foi levado a sério e que muitos diziam que os telespectadores não aprovariam a proposta. Após o projeto ser confirmado, o sucesso foi tanto que durante duas semanas 700 garotas se inscreveram para participar e a ganhadora do concurso recebeu várias propostas, inclusive a de posar para a Playboy. "Foi uma idéia maluca que deu certo", conta. Além de falar sobre o concurso e suas participantes, por meio do jornalismo, o jornalista mostrou os problemas que a população enfrentavam nos terminais de ônibus.

"Temos que parar com essa mania de ser pequeno", argumenta. Siqueira conta que foi para Florianópolis (SC) por causa de sua ex-banda, porém as coisas não aconteceram do jeito que esperava. Após o fim da banda, ele entregou currículos na área de jornalismo e quando recebeu uma proposta que não o agradava este recusou. "Às vezes um não que você dá, pode abrir pontas", lembra. Depois de algum tempo, o jornalista conseguiu uma vaga na RBS TV de SC, onde trabalha até hoje. Marcelo Siquiera explica que é necessário acreditar no próprio potencial, e que é bom trabalhar em uma empresa onde reconhecem o seu talento e a população reconhece o seu trabalho. "Não adianta você ter idéias boas, se você não tem um chefe bom, de cabeça aberta e que vá entender usas idéias", justifica.

Comentários

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!