Pular para o conteúdo principal

Destaques

12 Graphic Novels que você precisa ler

Começou como uma forma de experimentação na leitura. Apesar de gostar de tirinhas, nunca tinha me aventurado pelo universo das graphic novels, como aconteceu há alguns anos – pelo menos, não de forma que me interessasse.

Percebo que cada vez mais pessoas estão se interessando pelos diferentes formatos de narrativas. Acho válida toda forma de contação de histórias e acredito que elas podem criar experiências complementares. Há espaço para todos gostos.


Com doze indicações de leitura, dá para ler um livro por mês ou ler todos em um só mês, dependendo do ritmo de leitura e da fome por histórias de cada um. Entre temáticas mais sociais e outras mais fantasiosas, as graphic novels podem ser uma porta de entrada para outros livros, como podem ocupar um espaço central no coração de quem é aficionado por histórias ilustradas.

Histórias que podem ir muito além de um passa-tempo, como se acreditava antigamente, mas também proporcionar reflexões sobre a vida, juntando o melhor dos dois mundos: d…

Tempestade Interior


Enquanto os ventos e trovões anunciavam que uma tempestade estava chegando, dentro de mim uma já estava acontecendo. Os sons dos alarmes e das vozes em minha cabeça me mantinham acordado. Sentimentos se colidiam com pensamentos e giravam em meu interior.

A chuva chegou sem pedir licença. Inesperada e forte, como a tristeza que eu sentia. Os barulhos do impacto na janela e no telhado davam a sensação de que estes iriam quebrar a qualquer momento, como uma parte do meu espírito que eu já não tinha certeza se existia.

"Não deveria mais doer", era tudo o que eu conseguia pensar. Não era a primeira vez que eu me machucara. Todavia, era o mesmo que acreditar que um raio não poderia cair no mesmo lugar. Ele não só cai, como às vezes, pode atingir com mais intensidade e queimar até transformá-lo em cinzas.

O céu azul que havia sido pintado tornou-se tão escuro que já não era possível enxergar. O dia se confundia com noite e despertava o meu lado sombrio. A oscilação da energia mostrava que a lâmpada se apagaria a qualquer momento. Medo do escuro? Não. Aprendera a enxergar através das sombras e brilhar por conta própria.

O barulho do trovão anunciava que era só o começo. Enquanto alguns rezavam para esta acabar, outros sabiam apreciar a beleza da desordem que esta trazia. No momento certo ela pararia, mas como boa tempestade deixaria rastros de destruição por onde passara. O mesmo som que assustava alguns foi o que finalmente me fez dormir.

Comentários

Mais lidas da semana