Pular para o conteúdo principal

Destaques

Criminologia, Jessica Jones e Mulher-Maravilha: Ficar do lado do agressor é sinal de perigo à sociedade – Ben Oliveira

Que dia lindo para servir Karma Coletivo para Diana, Lilith e Nêmesis ao mesmo tempo:  Resistam julgar as pessoas pela aparência. Meus 2 ex-namorados manipuladores se faziam de vítimas e todo mundo ficava ao lado deles e como eu sou porra louca, como Jessica Jones e Malévola, era injustiçado entre quatro paredes e julgado por todos ao redor. Como sou uma vaca, só há duas pessoas com a qual me importo no mundo, minhas duas chamas gêmeas, o resto é indiferente. Ainda assim... Vocês criam cada distorção cognitiva que só por Deus... É muita falta de terapia, autoconsciência, reflexão e bom senso.  Foi você que tava dentro do carro capotado? Foi você que quase morreu? Foi você que teve que recomeçar várias vezes na vida? Foi você que saiu como vilão quando a pessoa era tóxica pra cacete? Não foi. Então, boca fechada, sempre. Opinião só se dá quando é pedida. Sem falar os DELUSIONAIS que ficaram comentando: Que pena, achei que vocês iam casar. Quem quiser casar com ele, passo até o perfil KK

Juiz tira dúvidas sobre Justiça Criminal e Tribunal do Júri


Texto: Ben Oliveira.

O Juiz Auxiliar da Presidência do TJMS e titular da 1ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande, Dr. Carlos Alberto Garcete de Almeida ministrou uma palestra sobre a Justiça Criminal e o Tribunal do Júri. A última palestra do 5º Seminário de Direitos para Jornalistas foi realizada no Plenário do Tribunal do Júri, em Campo Grande (MS).
O juiz Dr. Carlos Garcete deu uma mini-aula sobre a Justiça Criminal e
o trabalho dos juízes. Foto: Ben Oliveira.

A magistratura foi tema inicial da palestra, na qual o Dr. Carlos Garcete explicou que é uma carreira difícil de integrar, além de ser de risco e não ter todo o glamour que transparece. "De todas as pessoas formadas em Direito, somente 2% tem sucesso na magistratura", o palestrante citou uma pesquisa.

Imagina-se que os juízes possuem uma boa estrutura de segurança, mas segundo o palestrante, não é o que acontece. Para retratar a situação, o Dr. Carlos Garcete exibiu uma reportagem do Globo News sobre a rotina de juízas que se sentem ameaçadas e vivem sem escolta.

"Isso é o que a maioria dos juízes passa, principalmente os que moram no interior e sem estrutura de segurança. Tem lugares que tem somente um policial no fórum", compartilhou o Dr. Carlos Garcete. "Por conta de tudo isso que passa o juíz, são grandes os problemas psicológicos...", explicou o palestranta que a atividade é extremamente desgastante.

O palestra citou a Constituição Federal e explicou sobre alguns dos direitos assegurados para qualquer um, como o de ninguém poder ser preso ou mantido na prisão, quando a lei admitir a liberdade provisória, com ou sem fiança, entre outros pontos como o do Princípio da Inocência e da inviolabilidade da casa sem consentimento do morador, exceto em caso de flagrante delito ou desastre, ou para pestrar socorro, e por determinação judicial. "O juíz é garantidor dos direitos fundamentais da Constituição", ensinou para os acadêmicos de jornalismo que ainda tinham dúvidas.

"O Judiciário é o último reduto de esperança quando há violações", declarou o Dr. Carlos Garcete. O juiz ainda esclareceu que qualquer prisão pode ser feita somente pelo juiz, exceto no caso de flagrante de delito, e mesmo que a prisão aconteça, a autoridade policial deve comunicar imediatamente ao juiz competente e à família do preso. De acordo com o palestrante, o juiz vai analisar o caso e sentenciar prisão, liberdade ou medidas corretivas.

Um dos grandes erros presentes na imprensa diária é o de dizer que a instituição, como a polícia decretou prisão. Segundo o palestrante, o certo seria explicar que o mandado de prisão é expedido pelo poder judicial.

Diretora da Secretaria de Comunicação Social do TJMS, Marilda Silveira Camargo acrescentou ao final da palestra sobre a situação. "O que fica no imaginário da população é que a polícia prende e o juiz solta", justificou a profissional dizendo que é um trabalho de desmistificação.

Comentários