Pular para o conteúdo principal

Destaques

Sobre rabiscos e telas brancas

A tela branca pode ser um convite à explosão criativa ou uma tortura ao artista que sente seu espírito definhando diante da pesada realidade. Em tempos de crise e ódio, a arte fica esquecida e é vista como desimportante; ironicamente, é quando mais precisamos dela, de algo que nos faça sentir vivo e toque as partes atordoadas.


O som dos dedos se movendo pelo teclado era como fantasmas de uma vida distante. É incrível perceber quantas vezes nós deixamos algumas partes nossas morrerem ao longo de nossas existências; as máscaras, antes tão confortáveis, agora incomodam e não nos servem mais. Leva tempo até ficarmos satisfeitos e ajustados à nova realidade. Viver é admitir que sabemos pouco sobre nós mesmos e há sempre algo novo que pode nos transformar, seja para o bem ou para o mal.

O artista encara a tinta respingando pela tela. Para o espectador sem intimidade, nada faz sentido, a desconexão de ideias é tormentosa; para ele, o lembrete de que sua arte nunca o abandonaria. Como poderia…

Resenha: Assassinato no Expresso Oriente - Agatha Christie


Assassinato no Expresso Oriente, nome do romance policial escrito por Agatha Christie, no qual o detetive Hercule Poirot precisa desvendar mais um homicídio.

Hercule Poirot está em um trem onde um homem é assassinado com diversas facadas. Antes de morrer ele pede ajuda para o detetive que o ignora, dizendo que sua vida está em perigo.

O homem recebe cartas ameaçadoras, segundo o seu assistente e cabe ao detetive descobrir de todos os passageiros do trem quem foi o responsável pelo assassinato.

Após descobrir uma informação importante sobre o homem, Poirot tenta encontrar alguma relação entre os suspeitos e o crime cometido.

Mais um mistério de Agatha Christie que envolve o leitor em diversos caminhos falsos e a solução dificilmente é descoberta antes da hora. Enquanto os leitores estão focados em saber quem é o assassino, eles deixam de lado a hipótese de que mais de uma pessoa pode ter matado o homem.

As mentiras contadas sempre atrapalham o andamento das investigações, mas no final o detetivo descobre com precisão o que realmente aconteceu. quase como se estivesse só esperando o momento da revelação bombástica.

Comentários

  1. Fui na lista de resenhas... E logo no A, tem um dos livros que mais amo da Agatha... Tenho um box que além desse, tem o Natal de Poirot que vi a resenha também... e 'Cai o Pano'... Não achei... Ma vale a leitura. Mas voltando ao Expresso "QUE LIVRO" amei do começo ao fim, e que fim, aonde a vingança, se assim posso usa-la, pode levar o homem, não é? Parabéns pelo blog.

    Bjs,
    www.dominicia.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Deborah!
      Tenho este mesmo box. Também resenhei Cai o Pano e Natal de Poirot também. Adoro Agatha Christie. Estou com mais dois livros dela para ler por aqui.
      Muito obrigado por sua visita.

      Abraços

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Mais lidas da semana