quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Acadêmicos visitam Rádio 104 FM e TV Brasil Pantanal no 72 Horas de Jornalismo

Eram 5 horas e meia da manhã quando o despertador do celular começou a tocar. Pulei da cama e fui direto ao banheiro tomar um banho. Escolhi uma calça jeans, um par de sapatos e coloquei a camiseta preta com letras prateadas da terceira edição do 72 Horas de Jornalismo. Enquanto a minha mente ainda estava adormecida, eu deveria estar pronto para monitorar uma visita dos acadêmicos de Comunicação Social da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), de Campo Grande (MS), até a Rádio 104 FM.

Localizada no Parque dos Poderes, na Rua Desembargador Leão Neto do Carmo, local conhecido como Fundação Estadual Jornalista Luiz Chagas de Rádio e TV Educativa ou também como Palácio das Comunicações, a Rádio 104 FM tinha sido escolhida por mim e outros cinco estudantes para a oficina de observação. O primeiro dia do evento do 72 Horas de Jornalismo tinha como objetivo levar os alunos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda da UCDB a conhecerem os diferentes veículos de comunicação da capital sul-mato-grossense.

Palácio das Comunicações, localizado no Parque dos Poderes, em Campo Grande (MS). Foto: Ben Oliveira.

Sei horas e meia da manhã e lá estava eu acompanhado do acadêmico de Jornalismo Matheus Rondon em frente à bela estrutura que abrigava a Rádio 104 FM e a TV Brasil Pantanal. Com um caderno em mãos, fiquei aguardando a chegada dos outros acadêmicos. Por sorte eu tinha anotado o nome dos alunos inscritos e os respectivos números dos telefones celulares para entrar em contato. Quando Leandro Abreu chegou, perguntei se ele sabia sobre os outros colegas da universidade e ele me disse que alguns encontraram dificuldade na noite anterior de como chegariam até o local. Liguei para um dos números e quem atendeu foi uma garota dizendo que eu tinha ligado para o número errado. Olhei várias vezes para perceber se tinha digitado o número correto. Liguei para o outro número e o rapaz disse que estava de carona com outro aluno e que os dois se atrasariam. Faltava falar com um aluno e o mesmo por ser filho de um dos locutores de rádio da 104 FM disse que poderíamos começar a visita.


Esperamos por vinte minutos até os outros alunos aparecerem, mas nenhum sinal deles. Respirei fundo e sugeri para os que tivessem lá para quem entrássemos e depois os outros acadêmicos nos encontrassem lá dentro. Nenhuma pessoa estava na recepção para dar as coordenadas de como chegar até o estúdio da rádio. Perguntei a uma mulher que realizava a limpeza de uma sala se ela saberia informar e ela nos apontou uma direção. Andamos pelos corredores do edifício até a recepcionista que estava no andar de baixo nos observar. “Vocês são da UCDB?”, nos perguntou. “Somos”, respondemos. “Podem descer aqui. Sigam por aquele corredor e desçam as escadas”, informou.

Jornalista e Locutor de Rádio, Clayton Salles é o apresentador do programa Repórter 104, da Rádio 104 FM. Foto: Ben Oliveira.
Após agradecê-la, estávamos dentro do estúdio da Rádio, onde o jornalista e locutor de rádio Clayton Salles nos deixou acompanhar ao vivo a gravação do programa Repórter 104. A jornalista Vanusa também estaria presente na visita, porém por causa de problemas na garganta devido ao clima seco da cidade não apresentou o programa jornalístico ao lado de Clayton. O homem que eu já conhecia como um dos professores de Jornalismo da Universidade Anhanguera-Uniderp nos pediu para sentar e aguardar. Um senhor com deficiência esperava o jornalista começar a entrevista, na qual ele abordaria as dificuldades enfrentadas pela pessoa portadora de deficiência, bem como a importância de se adequar os locais que facilitem a acessibilidade. Enquanto criticava os lugares que não estavam preparados para receberem pessoas em cadeiras de rodas, por exemplo, Paulo Cesar apontou que a própria emissora de rádio não tinha uma estrutura acessível, com tantas escadas.

Foi interessante observar como o jornalista Clayton Salles teve que dar conta de apresentar ao vivo o programa, fazer as chamadas para as notas informativas e realizar sozinho duas entrevistas sobre assuntos diferentes. Um sistema o ajudava a montar o esqueleto do programa possibilitando ao radialista respirar um pouco. Concluída a entrevista alusiva ao Dia Estadual da Pessoa com Deficiência, o Repórter 104 também teve em sua programação a divulgação de vagas no mercado de trabalho, previsão de tempo, cotação, diversas notas e uma entrevista com Renan Soares Junior, Assessor de Psicologia no Trânsito do Detran-MS. O profissional falou sobre o evento Artista de Bar que aconteceriam ontem no Lendas Bar, em Campo Grande (MS), no qual um artista faria artes em bolachas de Chopp, ajudando na conscientização da pessoa em relação ao trânsito e ao álcool. Segundo o entrevistado, mais de 1500 bolachas de Chopp com arte já tinham sido distribuídas pelos bares da cidade e ajudavam a espalhar mensagens incentivando os motoristas a usarem outros meios de transporte para voltarem para suas casas. “Não existe combinação segura entre bebida e direção”, afirmava o assessor do Detran.

Acadêmicos de Comunicação Social visitam a sede de Rádio 104 FM e da TV Brasil Pantanal. Foto: Ben Oliveira.


Encerrado o programa Repórter 104, Clayton Salles conversou com os acadêmicos e com a jornalista e professora de Jornalismo da UCDB, Inara Silva que foi até o local acompanhar como estava o andamento da oficina de observação. Clayton explicou que as notas do programa eram gravadas um dia antes, sendo o período da manhã utilizado para a apresentação do Repórter 104 que vai ao ar das 6h até as 7h. Depois de apresentado, os profissionais se reúnem para realizar a produção e ver o que de conteúdo pode estar presente na outra edição do programa e no período da tarde as jornalistas gravam no estúdio.

Professora de Jornalismo, Inara Silva explicou a importância do evento 72 Horas de Jornalismo, no qual os estudantes entram em contato com o mercado de trabalho. Foto: Ben Oliveira.

A visita foi rápida e produtiva. Depois dos alunos tirarem suas dúvidas com o locutor da Rádio 104 FM, outros acadêmicos estavam no local realizando a visita a TV Brasil Pantanal. Dois estudantes saíram com duas equipes para acompanhar as reportagens e os outros ficaram no estúdio aprendendo mais sobre a redação, como funciona a pauta, o espelho do programa jornalístico, a escalada, a edição e até mesmo onde aconteciam as gravações do telejornal e de um programa esportivo.

Aluna visita o estúdio de gravação do telejornal da TV Brasil Pantanal. Foto: Ben Oliveira.


Missão cumprida, saímos de lá sabendo um pouco mais sobre a Rádio 104 FM e ainda de quebra aproveitamos para conhecer a TV Brasil Pantanal.

Alunos do 72 Horas de Jornalismo fazem uma pausa para foto. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comentários Recentes

Me acompanhe no Instagram