Pular para o conteúdo principal

Destaques

Sobre rabiscos e telas brancas

A tela branca pode ser um convite à explosão criativa ou uma tortura ao artista que sente seu espírito definhando diante da pesada realidade. Em tempos de crise e ódio, a arte fica esquecida e é vista como desimportante; ironicamente, é quando mais precisamos dela, de algo que nos faça sentir vivo e toque as partes atordoadas.


O som dos dedos se movendo pelo teclado era como fantasmas de uma vida distante. É incrível perceber quantas vezes nós deixamos algumas partes nossas morrerem ao longo de nossas existências; as máscaras, antes tão confortáveis, agora incomodam e não nos servem mais. Leva tempo até ficarmos satisfeitos e ajustados à nova realidade. Viver é admitir que sabemos pouco sobre nós mesmos e há sempre algo novo que pode nos transformar, seja para o bem ou para o mal.

O artista encara a tinta respingando pela tela. Para o espectador sem intimidade, nada faz sentido, a desconexão de ideias é tormentosa; para ele, o lembrete de que sua arte nunca o abandonaria. Como poderia…

Minhas próximas Leituras Internacionais

Quem é que não gosta de ganhar livros? Minha irmã voltou do intercâmbio aos Estados Unidos e me trouxe alguns livros: Divergent (Veronica Roth), Allegiant (Veronica Roth), The 100 (Kass Morgan) e The Secret Diary of Lizzie Bennet (Bernie Su e Kate Rorick).


Preciso me organizar para começar a lê-los. Vou ter que comprar o segundo livro da trilogia Divergent, o Insurgent, porque minha irmã loira esqueceu este! Sem problemas! Fiquei feliz pelos livros internacionais que ganhei, porque adoro inglês e preciso mesmo desenferrujar. Nada como ler uma história em seu idioma original, sem perder nenhum significado durante o processo de tradução para o português.

Comentários

Mais lidas da semana