Pular para o conteúdo principal

Destaques

Pós-Verdade: Quando Jornalismo, Propaganda Política e Cinismo se Confundem no Brasil

Estamos em 2021. Em teoria, com tanto volume de informação disponível, brasileiros e pessoas de diferentes países teriam mais condições de entenderem sobre manipulação política . Porém, o  sistema político da Pós-Verdade tem revelado o quanto a democracia pode ser frágil quando as mentiras reforçadas constantemente por figuras políticas ganham destaque midiático. Em um jogo de inversão, quem mente, acusa o outro de fake news e muitos perdem o referencial de credibilidade, sem saber distinguir o que é jornalismo, propaganda política ou cinismo. Muita gente poderia achar que o que tem acontecido nos últimos anos é um mero acaso, assim como milhares de brasileiros tentam minimizar o impacto das falas de Jair Bolsonaro, chamando-o de louco e mentiroso patológico – tirando de jogo a intencionalidade da questão de manipulação política por trás de suas estratégias de governar.  Embora tente passar imagem de originalidade, nada do que ele faz é novidade no resto do mundo: talvez exceto pelo

Wattpad: Fragmentário – coletânea de crônicas, rabiscos e fragmentos

Para quem estava com saudade dos meus rabiscos aqui no blog, voltei a publicar minhas crônicas. Os textos também já estão disponíveis no Wattpad, em Fragmentário! Este ano foi marcado por muitas mudanças na minha vida e decidi tirar alguns textos que estavam engavetados.


Os textos não foram publicados em uma ordem cronológica, mas por terem relação com todas as transformações pelas quais eu passei este ano e ao longo da vida, dá para notar o diálogo entre eles, suas convergências e divergências.

“Quando foi a última vez em que você escreveu um texto prazeroso? Quando foi a última vez em que você sorriu? Eu queria. Mas a morte do querer, às vezes, se faz necessária. Se as coisas simplesmente acontecessem como deveriam acontecer, quem sabe tudo não se resolveria sozinho. Eu, no presente, agora e aqui. Não quero pensar em ontem nem em amanhã. Só quero me sentir em paz” – Ben Oliveira, em Ilusionar

Fragmentário brinca com as linhas entre os contos e as crônicas. Ficção? Realidade? Sonhos? Delírios? Rabiscos ingênuos, mentiras, invenções. Como captar momentos efêmeros? Textos sobre se deixar despedaçar, mas também sobre se reconstruir. Segure o Dente-de-leão e sopre o mais forte que puder. Não olhe para trás.

“Não dê ouvidos às minhas mentiras. Tudo o que aqui já escrevi nada mais são do que ilusões criadas para te enganar. A verdade é que se eu escrevesse que nunca te amei, você usaria seu canto hipnótico e daria um jeito de fazer as palavras se voltarem contra mim. As palavras, aquelas traidoras. Sempre me deixando na mão quando eu mais preciso, com suas ambivalências e limitações – como nós dois, não é mesmo?” – Ben Oliveira, em Amor Nômade

Ficou interessado? Dá uma passadinha lá no Wattpad! 



"Seguro suas mãos e o quarto começa a tremer. Nossos mundos estão prestes a colidir, mais uma vez. Duas luas brilham no céu, nossos corpos se fundem como um mosaico. Podia ser um sonho, podia ser uma fantasia, mas abro os olhos e você está ali. A imagem congela. O fim é só o começo" – Ben Oliveira, em Olhos Labirínticos

Em breve mais novidades sobre minha escrita, sobre o blog e sobre minha vida. Não tem como separar, né? Obrigado a todos que têm visitado aqui. Especialmente, os comentários de leitores que me motivam a continuar seguindo em frente! ;-)

Comentários

Mais lidas da semana