Pular para o conteúdo principal

Destaques

Subdiagnóstico de autismo, números e incoerências

O brasileiro é muito individualista. Ao mesmo tempo que vejo pessoas reclamando que os números do Censo vão dar abaixo por causa dos subdiagnósticos de autismo, já vi muita gente acusando pessoas com laudo fingirem que eram autistas.


Como explicar a volatilidade? Nem tento entender o que se passa na mente do brasileiro.

Os discursos são sempre contraditórios. Por causa de polarização, todo mundo sai perdendo.

Já vi até gente dizendo que o laudo é só um papel. Se é só um papel, a pessoa, então, não precisa de um diagnóstico? Logo, por que ser contabilizada? Sejam mais coerentes nos discursos.

Incoerências dos brasileiros sobre subdiagnósticos:

– Já vi gente acusando autista de fingir, mesmo a pessoa tendo laudo;

– Já vi gente se posicionando contra diagnóstico precoce, achando que seria ruim, desconhecendo a questão da plasticidade cerebral;

– Já vi gente dizendo que autismo nem deveria ter CID;

– Já vi gente dizendo que o outro não é autista, só porque sabe argumentar e é diferente do …

Wattpad: Fragmentário – coletânea de crônicas, rabiscos e fragmentos

Para quem estava com saudade dos meus rabiscos aqui no blog, voltei a publicar minhas crônicas. Os textos também já estão disponíveis no Wattpad, em Fragmentário! Este ano foi marcado por muitas mudanças na minha vida e decidi tirar alguns textos que estavam engavetados.


Os textos não foram publicados em uma ordem cronológica, mas por terem relação com todas as transformações pelas quais eu passei este ano e ao longo da vida, dá para notar o diálogo entre eles, suas convergências e divergências.

“Quando foi a última vez em que você escreveu um texto prazeroso? Quando foi a última vez em que você sorriu? Eu queria. Mas a morte do querer, às vezes, se faz necessária. Se as coisas simplesmente acontecessem como deveriam acontecer, quem sabe tudo não se resolveria sozinho. Eu, no presente, agora e aqui. Não quero pensar em ontem nem em amanhã. Só quero me sentir em paz” – Ben Oliveira, em Ilusionar

Fragmentário brinca com as linhas entre os contos e as crônicas. Ficção? Realidade? Sonhos? Delírios? Rabiscos ingênuos, mentiras, invenções. Como captar momentos efêmeros? Textos sobre se deixar despedaçar, mas também sobre se reconstruir. Segure o Dente-de-leão e sopre o mais forte que puder. Não olhe para trás.

“Não dê ouvidos às minhas mentiras. Tudo o que aqui já escrevi nada mais são do que ilusões criadas para te enganar. A verdade é que se eu escrevesse que nunca te amei, você usaria seu canto hipnótico e daria um jeito de fazer as palavras se voltarem contra mim. As palavras, aquelas traidoras. Sempre me deixando na mão quando eu mais preciso, com suas ambivalências e limitações – como nós dois, não é mesmo?” – Ben Oliveira, em Amor Nômade

Ficou interessado? Dá uma passadinha lá no Wattpad! 



"Seguro suas mãos e o quarto começa a tremer. Nossos mundos estão prestes a colidir, mais uma vez. Duas luas brilham no céu, nossos corpos se fundem como um mosaico. Podia ser um sonho, podia ser uma fantasia, mas abro os olhos e você está ali. A imagem congela. O fim é só o começo" – Ben Oliveira, em Olhos Labirínticos

Em breve mais novidades sobre minha escrita, sobre o blog e sobre minha vida. Não tem como separar, né? Obrigado a todos que têm visitado aqui. Especialmente, os comentários de leitores que me motivam a continuar seguindo em frente! ;-)

Comentários

Mais lidas da semana