Pular para o conteúdo principal

Destaques

Sobre rabiscos e telas brancas

A tela branca pode ser um convite à explosão criativa ou uma tortura ao artista que sente seu espírito definhando diante da pesada realidade. Em tempos de crise e ódio, a arte fica esquecida e é vista como desimportante; ironicamente, é quando mais precisamos dela, de algo que nos faça sentir vivo e toque as partes atordoadas.


O som dos dedos se movendo pelo teclado era como fantasmas de uma vida distante. É incrível perceber quantas vezes nós deixamos algumas partes nossas morrerem ao longo de nossas existências; as máscaras, antes tão confortáveis, agora incomodam e não nos servem mais. Leva tempo até ficarmos satisfeitos e ajustados à nova realidade. Viver é admitir que sabemos pouco sobre nós mesmos e há sempre algo novo que pode nos transformar, seja para o bem ou para o mal.

O artista encara a tinta respingando pela tela. Para o espectador sem intimidade, nada faz sentido, a desconexão de ideias é tormentosa; para ele, o lembrete de que sua arte nunca o abandonaria. Como poderia…

Dia do Escritor: Ofício tão necessário e tão desvalorizado

Hoje é Dia do Escritor. Mais de cinco anos oficialmente nesta jornada. Um ofício mega desvalorizado no país. Lembro-me do Ensino Médio, quando lia alguns clássicos da literatura mundial e livros de ficção contemporânea e de me sentir perdido: livros que eram invisíveis no colégio; tudo o que não seguia a cartilha, que não cairia nas provas, era descartável.


Qual caminho seguir? Acredite, no Brasil, dificilmente alguém vai dizer 'seja escritor'. Diferente dos países em que os jovens aprendem escrita criativa em diferentes anos, a literatura era vista como uma disciplina para passar no vestibular, tão decorativa quanto outras (ironicamente, mesmo na graduação, há quem ainda trate a literatura desta forma engessada).

Anos depois me aventurei no Jornalismo e até comecei Letras e parei antes de me mudar de cidade (escritores e Letras: relação de amor e ódio, muitas vezes, mais de ódio), mas a necessidade de escrever e estar cercado de livros, só o ofício de escritor me trouxe.

Desisti de desistir da escrita. É uma luta diária, em um país em que as desvantagens são bem maiores do que as vantagens e seguir outro rumo seria o caminho mais fácil. Por que insistir? Desistir dos livros seria desistir de mim mesmo. Permaneço escrevendo.

Inúmeros escritores de várias épocas sofreram preconceito e continuamos sofrendo. Não aprendemos muito com a história, mas somos loucos e insistimos na arte de contar histórias. Verdade seja dita, o mundo seria um porre sem livros.

*Ben Oliveira é escritor, blogueiro e jornalista por formação. É autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e do livro de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1), disponível no Wattpad.

Comentários

  1. Adorei teu texto!
    Parabéns para nós! rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jana! Parabéns para nós todos ♥ Escrever é o que nos move. Apesar de todos desafios, é muito gostoso quando os leitores conseguem se conectar com nossas palavras. Gratidão!

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Mais lidas da semana