Pular para o conteúdo principal

Destaques

Criminologia, Jessica Jones e Mulher-Maravilha: Ficar do lado do agressor é sinal de perigo à sociedade – Ben Oliveira

Que dia lindo para servir Karma Coletivo para Diana, Lilith e Nêmesis ao mesmo tempo:  Resistam julgar as pessoas pela aparência. Meus 2 ex-namorados manipuladores se faziam de vítimas e todo mundo ficava ao lado deles e como eu sou porra louca, como Jessica Jones e Malévola, era injustiçado entre quatro paredes e julgado por todos ao redor. Como sou uma vaca, só há duas pessoas com a qual me importo no mundo, minhas duas chamas gêmeas, o resto é indiferente. Ainda assim... Vocês criam cada distorção cognitiva que só por Deus... É muita falta de terapia, autoconsciência, reflexão e bom senso.  Foi você que tava dentro do carro capotado? Foi você que quase morreu? Foi você que teve que recomeçar várias vezes na vida? Foi você que saiu como vilão quando a pessoa era tóxica pra cacete? Não foi. Então, boca fechada, sempre. Opinião só se dá quando é pedida. Sem falar os DELUSIONAIS que ficaram comentando: Que pena, achei que vocês iam casar. Quem quiser casar com ele, passo até o perfil KK

Por Que Você Me Matou?: Documentário mostra mãe que usou rede social para encontrar assassino da filha

 Até onde você iria para descobrir quem matou sua filha? No documentário de crime Por Que Você Me Matou? (Why Did You Kill Me?), lançado em abril de 2021 na Netflix, dirigido pelo norte-americano Fredrick Munk, Belinda Lane e sua família revelam como usaram o MySpace para encontrar os envolvidos no dia da morte de sua filha, Crystal Theobald

O que poderia ser alguma trama de livro, série ou filme, na qual o protagonista está à procura de justiça e vingança, o caso real aconteceu em Riverside, Califórnia. O país e o estado carregam uma imagem glamorosa pelo mundo para aqueles que só conhecem o lado turístico e o artístico de Hollywood, mas mais do que uma história de uma tragédia pessoal, o documentário Why Did You Kill Me? explora como casos como o do assassinato de Crystal Theobald são mais comuns do que as pessoas imaginam.

Obcecada pela resolução do crime, Belinda conta com a ajuda de uma prima de Crystal que cria duas contas falsas no MySpace. Na época, as redes sociais não eram tão conhecidas e/ou usadas pelo público mais velho; por outro lado, embora hoje em dia contamos com muita mais informações disponíveis, as pessoas tinham uma certa ingenuidade de conversar com perfis falsos.

“Fazer alguém se apaixonar por alguém que já morreu não é uma sensação boa” – Why Did You Kill Me?

Embora trabalhe com uma linha linear, desde os primeiros passos de Belinda, o trabalho da polícia e o desenrolar do caso, o documentário indiretamente aponta assuntos que deveriam ser mais discutidos e atrair mais atenção do governo dos Estados Unidos: gangues, drogas, tráfico, armas e de que forma as desigualdades sociais estão relacionadas à violência e à criminalidade. 

A atitude de Belinda surpreende, pois poderia ter colocado toda investigação água abaixo. Sem mencionar o possível risco de linchamentos de pessoas inocentes: afinal, se no mundo offline as pessoas mentem, imagina no mundo online. 

Por Que Você Me Matou? (Why Did You Kill Me?) foi uma surpresa boa na Netflix. Confesso que tenho os dois pés atrás com alguns documentários disponíveis no streaming. Achava que iriam explorar o sensacionalismo, mas longe disso, o diretor Fredrick Munk se focou no lado curioso, deixando o telespectador curioso para saber um pouco de como foi o trabalho de investigação envolvendo a polícia e a tão esperada possível busca pela justiça pela morte de Crystal Theobald.

*Ben Oliveira é escritor, formado em jornalismo. Autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e dos livros de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1) e O Livro (Vol. 2), disponíveis no Wattpad e na loja Kindle.

Comentários

Mais lidas da semana