Pular para o conteúdo principal

Destaques

Revolutionary Love: Série coreana de drama explora o abismo que divide as classes sociais

Embora muitos dramas coreanos pequem na representatividade de diversidade racial e deem pouquíssimo espaço para estrangeiros e imigrantes, a série Revolutionary Love (2017) da tvN e no Brasil disponível temporariamente pela Netflix , acaba indo além dos elementos de comédia e romance, mostrando o drama das diferenças de classes sociais , os preconceitos e a possibilidade de imersão nesse mundo desconhecido pelo filho do dono de um dos maiores conglomerados de empresas da Coreia do Sul . A ingenuidade e a ignorância da realidade das classes trabalhadoras tornam o protagonista um tanto embaraçoso, lembrando de forma vaga a jornada de Buda quando conheceu a realidade fora do palácio e foi confrontado com a fome, a doença, a pobreza e a morte. Longe de ser uma série com alguma alegoria espiritual, mas do ponto de vista do comportamento é interessante acompanhar como Byun Hyuk (Choi Si-won) se torna mais empático e humanizado quando seu caminho cruza com o de Baek Joon (Kang So-ra) . E

Segurança e Privacidade na Web » Conheça o Projeto Diaspora

Quatro estudantes programadores da NYU (New York University) estão tentando levantar fundos para construirem um projeto chamado Diaspora. O projeto é um servidor de web de código aberto pessoal que segundo eles, possibilitará aos indivíduos terem controle sobre seus dados.

O que é?

Diaspora pretende ser uma rede distribuída, onde de forma separada, computadores conectam-se entre si diretamente, possibilitando a conexão sem perder a privacidade. Estes computadores são chamados de 'seeds' (sementes).
Um seed é propriedade sua que estará hospedado por você ou em um servidor alugado. Depois de criado, ele irá agregar toda sua informação: seu perfil no facebook, tweets, entre outros. Os jovens estão projetando um jeito de integrar automaticamente os conteúdos novos inventados em cada seed.

"Agora que você tem sua informação em seu seed, ela irá conectar em cada serviço que você utiliza. Por exemplo, seu seed irá mandar tweets e você terá a possibilidade de vê-los no feed de notícias do seu Facebook. Na verdade, Diaspora tornará melhores esses serviços! Ao fazer o upload de uma imagem para o Flickr, seu seed pode automaticamente gerar um tweet do título e do link. Redes sociais tornarão-se melhores quando você tiver controle sobre seus dados", completam os jovens.

Todavia, eles acreditam que um seed não terá apenas a função de  colocar todas as suas redes sociais juntas. Esta descentralização nos deixará reconstruir um "social graphs" (definido por Brad Fitzpatrick como um mapeamento global de todas as pessoas e como elas estão relacionadas) que pertence a nós.

"Nossas vidas reais sociais não têm centros de controle e nossa vida virtual não precisa deles. Torne-se amigo de outro seed e ambos poderão sincronizar uma conexão de forma direta e segura, ao invés de um hub supérfluo. A criptografação irá assegurar que não importa que tipo de conteúdo está sendo transferido, você pode compartilhar privadamente. Eventualmente, os hubs de hoje em dia poderiam ser quase que inteiramente substituídos por uma rede descentralizada de verdadeiros sites pessoais", finalizam.

Vídeos sobre o Projeto







Comentários

  1. ótimo post.. eu até pensei em escrever sobre isso mas não consegui ler muita coisa nem assistir aos vídeos. quero conhecer melhor esse projeto, ele parece muito diferente do q vem acontecendo...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Mais lidas da semana