Pular para o conteúdo principal

Destaques

Revolutionary Love: Série coreana de drama explora o abismo que divide as classes sociais

Embora muitos dramas coreanos pequem na representatividade de diversidade racial e deem pouquíssimo espaço para estrangeiros e imigrantes, a série Revolutionary Love (2017) da tvN e no Brasil disponível temporariamente pela Netflix , acaba indo além dos elementos de comédia e romance, mostrando o drama das diferenças de classes sociais , os preconceitos e a possibilidade de imersão nesse mundo desconhecido pelo filho do dono de um dos maiores conglomerados de empresas da Coreia do Sul . A ingenuidade e a ignorância da realidade das classes trabalhadoras tornam o protagonista um tanto embaraçoso, lembrando de forma vaga a jornada de Buda quando conheceu a realidade fora do palácio e foi confrontado com a fome, a doença, a pobreza e a morte. Longe de ser uma série com alguma alegoria espiritual, mas do ponto de vista do comportamento é interessante acompanhar como Byun Hyuk (Choi Si-won) se torna mais empático e humanizado quando seu caminho cruza com o de Baek Joon (Kang So-ra) . E

Transmedia Storytelling

O que é Transmedia Storytelling?

O produtor transmídia, criador de mundos ficcionais para filmes como "Avatar" e "Piratas do Caribe", Jeff Gomez, explica que: "Transmedia storytelling é a arte e a técnica de transmitir mensagens, temas ou histórias através de diferentes plataformas de mídia".

Uma forma de fazer transmedia é: transformar uma história em filmes, seriados, revistas em quadrinhos, jogos, sites etc. Possibilitando a todos "trabalharem juntos artisticamente", o que não significa necessariamente que a história contada em cada tipo de plataforma midiática seja a mesma. Outro ponto importante é: a falta de conhecimento de uma das histórias não pode afetar a outra, ao contrário, elas são complementares.

Bárbara R. Mota, Chief Culture Office d'Os Alquimistas, empresa de transmedia storytelling, vai além e diz: "Transmedia storytelling é, portanto, o que acontece quando pessoas amam histórias e têm condições de se envolver com elas ao máximo, por serem histórias e personagens que fazem parte de suas vidas".

Exemplos

Em entrevista ao programa What's On do Universal Channel, o produtor/roteirista/diretor, Mark Warshaw, cita como exemplo: Star Wars ( Guerra Nas Estrelas). "Você pode ter um ótimo filme, depois uma ótima revista em quadrinhos, um videogame e então outro filme. É usar todas as diferentes plataformas de mídia para contar uma grande história".

Warshaw é um dos responsáveis pelo case de sucesso de transmedia: Heroes - Evolutions. Em 2006 ele ajudou a lançar o departamento de Transmedia do seriado Heroes. No site do seriado na nbc você encontra: as revistas em quadrinhos, jogos, quiz, sites oficiais de alguns personagens e histórias, websérie, Heroes wiki etc.


Vídeos




Comentários

  1. achei muito interessnte essa matéria, além das pessoas poderem interagir mais com os personagens queridos é uma forma de fazer com que a história seja mais divulgada abrangindo um número maior de pessoas e beneficiando os criadores delas. Adorei o post

    ResponderExcluir
  2. ótimo! esse negócio é o futuro.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Mais lidas da semana