Pular para o conteúdo principal

Destaques

Resenha: Você – Caroline Kepnes

Frieza e perversão. Se eu pudesse resumir Joe em duas palavras seriam essas. O livro Você (You), da autora Caroline Kepnes nos leva para uma viagem para a mente doentia de um homem capaz de tudo para obter seu prazer. A obra foi publicada no Brasil pela Editora Rocco, com tradução de Alexandre Martins, em 2018.

Compre o livro Você (Caroline Kepnes): https://amzn.to/2Cp2CnR
Um jogo de gato e rato. Joe é dono de uma livraria, onde ele mantém não só sua obsessão por livros antigos e raros, como uma jaula que pertencia ao proprietário anterior. Com um passado traumático, o personagem desliga suas emoções e se aventura à procura de sua próxima vítima, alguém em quem possa projetar seus ideais românticos, ainda que unilaterais.
“Eu subo trotando e me sento para uma sessão de Beck, que consiste em escutar Rare and Well Done, olhar fotos suas que roubei do Facebook, assistir a cena de A Escolha Perfeita sem som. Eu me perco tanto nisso que amanhece na livraria e eu deveria estar cansado por caus…

Pesquisadora fala sobre Ciberjornalismo & Web Semântica

Ciberjornalismo e Web Semântica foram o tema da palestra da pesquisadora e jornalista Daniela Bertocchi, no dia 20 de agosto, no 2º Seminário de Ciberjornalismo de MS. Bertocchi que esteve pela primeira vez em Campo Grande (MS), é doutoranda em Ciências da Comunicação, pesquisadora das tecnologias semânticas e ministra aulas para cursos de graduação e pós-graduação.

Bertocchi explicou que para que se possa entender a Web Semântica, é necessário que se tenha conhecimento sobre a ‘Web 1.0’ e ‘Web 2.0’, porém ela ressalta que essas nomenclaturas foram criadas para identificação, “Não existe web semântica. Existe web”.

O termo Web Semântica foi criado em um artigo escrito em 2001 por Tim Berners-Lee, James Hender, Ora Lassila, nomeado 'The Semantic Web'. De acordo com a pesquisadora, neste artigo os autores dão vários exemplos de como a rede pode ser usada ao nosso favor.

"A Web Semântica vai funcionar como uma realidade aumentada, potencializando a informação", alega Bertocchi. O início da web teve como preocupações a questão do acervo e da partilha, hoje, para a pesquisadora, o problema está na forma de organização das informações.

Um exemplo citado pela palestrante sobre Web Semântica é o botão 'I Like it' (Curtir) do Facebook, em que você está disponibilizando informações sobre o que você gosta para a rede.

Em referência ao ciberjornalismo, Bertocchi diz que a Web Semântica começa a mudar a forma que o jornalista faz notícias e cita como exemplo o caso do The Wall Street Journal, onde o jornalista não precisa recorrer a memória dele para relacionar os seus artigos com termos encontrados dentro do texto. Esta informação complementar é trazida para o leitor através de um sistema de base de dados feitos pela lógica da semântica.

Comentários

Mais lidas da semana