Pular para o conteúdo principal

Destaques

Criminologia, Jessica Jones e Mulher-Maravilha: Ficar do lado do agressor é sinal de perigo à sociedade – Ben Oliveira

Que dia lindo para servir Karma Coletivo para Diana, Lilith e Nêmesis ao mesmo tempo:  Resistam julgar as pessoas pela aparência. Meus 2 ex-namorados manipuladores se faziam de vítimas e todo mundo ficava ao lado deles e como eu sou porra louca, como Jessica Jones e Malévola, era injustiçado entre quatro paredes e julgado por todos ao redor. Como sou uma vaca, só há duas pessoas com a qual me importo no mundo, minhas duas chamas gêmeas, o resto é indiferente. Ainda assim... Vocês criam cada distorção cognitiva que só por Deus... É muita falta de terapia, autoconsciência, reflexão e bom senso.  Foi você que tava dentro do carro capotado? Foi você que quase morreu? Foi você que teve que recomeçar várias vezes na vida? Foi você que saiu como vilão quando a pessoa era tóxica pra cacete? Não foi. Então, boca fechada, sempre. Opinião só se dá quando é pedida. Sem falar os DELUSIONAIS que ficaram comentando: Que pena, achei que vocês iam casar. Quem quiser casar com ele, passo até o perfil KK

Pesquisadora fala sobre Ciberjornalismo & Web Semântica

Ciberjornalismo e Web Semântica foram o tema da palestra da pesquisadora e jornalista Daniela Bertocchi, no dia 20 de agosto, no 2º Seminário de Ciberjornalismo de MS. Bertocchi que esteve pela primeira vez em Campo Grande (MS), é doutoranda em Ciências da Comunicação, pesquisadora das tecnologias semânticas e ministra aulas para cursos de graduação e pós-graduação.

Bertocchi explicou que para que se possa entender a Web Semântica, é necessário que se tenha conhecimento sobre a ‘Web 1.0’ e ‘Web 2.0’, porém ela ressalta que essas nomenclaturas foram criadas para identificação, “Não existe web semântica. Existe web”.

O termo Web Semântica foi criado em um artigo escrito em 2001 por Tim Berners-Lee, James Hender, Ora Lassila, nomeado 'The Semantic Web'. De acordo com a pesquisadora, neste artigo os autores dão vários exemplos de como a rede pode ser usada ao nosso favor.

"A Web Semântica vai funcionar como uma realidade aumentada, potencializando a informação", alega Bertocchi. O início da web teve como preocupações a questão do acervo e da partilha, hoje, para a pesquisadora, o problema está na forma de organização das informações.

Um exemplo citado pela palestrante sobre Web Semântica é o botão 'I Like it' (Curtir) do Facebook, em que você está disponibilizando informações sobre o que você gosta para a rede.

Em referência ao ciberjornalismo, Bertocchi diz que a Web Semântica começa a mudar a forma que o jornalista faz notícias e cita como exemplo o caso do The Wall Street Journal, onde o jornalista não precisa recorrer a memória dele para relacionar os seus artigos com termos encontrados dentro do texto. Esta informação complementar é trazida para o leitor através de um sistema de base de dados feitos pela lógica da semântica.

Comentários

Mais lidas da semana