Pular para o conteúdo principal

Destaques

Sobre rabiscos e telas brancas

A tela branca pode ser um convite à explosão criativa ou uma tortura ao artista que sente seu espírito definhando diante da pesada realidade. Em tempos de crise e ódio, a arte fica esquecida e é vista como desimportante; ironicamente, é quando mais precisamos dela, de algo que nos faça sentir vivo e toque as partes atordoadas.


O som dos dedos se movendo pelo teclado era como fantasmas de uma vida distante. É incrível perceber quantas vezes nós deixamos algumas partes nossas morrerem ao longo de nossas existências; as máscaras, antes tão confortáveis, agora incomodam e não nos servem mais. Leva tempo até ficarmos satisfeitos e ajustados à nova realidade. Viver é admitir que sabemos pouco sobre nós mesmos e há sempre algo novo que pode nos transformar, seja para o bem ou para o mal.

O artista encara a tinta respingando pela tela. Para o espectador sem intimidade, nada faz sentido, a desconexão de ideias é tormentosa; para ele, o lembrete de que sua arte nunca o abandonaria. Como poderia…

Resenha: Cinderela de Saia Justa – Chris Linnaeres

O livro Cinderela de Saia Justa: Para quem não vive um conto de fadas, mas merece finais felizes (Chris Linnares, Editora Gente, 192 páginas) conta a história de uma jornalista frustrada com o seu trabalho. Ana José trabalha em uma coluna de culinária em uma revista feminina chamada Mulheres & Cia.

"Até sete anos atrás, eu acreditava no amor. Acontece que três meses antes de eu subir ao altar com o meu príncipe, descobri que ele tinha umas cinco princesas! Aí desisti dessa babaquice de casar, ter filhos e por aí vai" 

A vida da jornalista começa a mudar após ela ser escalada para fazer uma reportagem investigativa sobre uma associação de pessoas que estão transformando as suas vidas através de ensinamentos contidos nos contos de fadas. No início, a jornalista acha que as reuniões não passam de uma bobagem, porém com o tempo, ela começa a inserir os aprendizados do conto da Cinderela em sua vida.

Ana é uma mulher solitária e cética. Perdera a sua mãe há alguns anos e não fala com o seu pai desde o acontecido. Após ser enganada pelo cara com quem se casaria, a jornalista perde os seus sonhos e sua auto-estima.

O livro aborda a felicidade e à medida que a protagonista aprende sobre este sentimento, nos envolvemos com a história e evoluímos junto com ela. Aprendemos a importância de sonhar e de permitir que sejamos felizes, já que somos os únicos responsáveis pelo nosso bem-estar.

Através da leitura do livro é possível aprender que os contos de fadas são mais do que histórias para crianças, visto que a princípio estas não eram voltadas para o público infantil e de que “não podemos viver um conto de fadas, mas merecemos finais felizes!”.

Esta ficção de autoria da escritora e atriz Chris Linnares traz uma história interessante, com muito humor e lições de vida. A autora que é psicóloga, através do seu texto, leva ao leitor uma série de reflexões e uma aula de motivação.

Comentários

Mais lidas da semana