Pular para o conteúdo principal

Destaques

Autismo: Profissionais antiéticos envolvidos com tratamentos proibidos e perigosos

Quando lancei uma campanha contra tratamentos sem evidências científicas do autismo, tive pouquíssimo apoio. Isso me ajudou a ver quem é quem, quem coloca as cartas na mesa ou não, quem está/estava com medo.


Infelizmente, além de estarmos abertos às ameaças abertas ou veladas, também existe muito silenciamento; muitas famílias fazendo tratamentos que são proibidos e perigosos e profissionais antiéticos que deveriam ser processados e/ou deveriam perder a licença.

Em vários países, isso já deu processos e prisões, mas no Brasil, nada é como deveria ser. Alguém fica chocado de viver no mundo invertido?

Tem gente que adora brincar com fogo. Gente que difama autistas adultos e quase implora por um processo.

Preciso lembrar que essas coisas são crimes? Ah, não sabia? Agora já sabe.

Uma dica: A verdade demora, mas ela sempre vem. Não é que o Xadrez nos ensina algumas coisas?
Quanto à impunidade e a desinformação, pode ter certeza que vou continuar fazendo minha parte de passar informações de …

Fonoaudióloga dá dicas de como cuidar da voz

Saber se comunicar bem é importante no campo pessoal e profissional, o que exige prática e cuidado com o aparelho fonador. A fonoaudióloga Luciana Helena R. Oshiro deu algumas dicas de como falar bem em um curso de extensão realizado nesta quarta-feira (2) no campi II do Centro Universitário Anhanguera (antiga Unaes) de Campo Grande.

A fonoaudióloga explica basicamente que comunicar-se é se fazer entendido pelo outro e que para aprender a se comunciar bem, no caso oralmente, não é fácil, é necessário técnica e treino.

"A voz é nossa identidade, através dela conseguimos passar para o outro o que estamos sentindo", explica Luciana Oshiro. A fonoaudióloga fala que é importante ter cuidado com a voz para não ter problemas.

Confira algumas dicas dadas pela fonoaudióloga sobre como cuidar da voz:

- Em primeiro lugar, evitar tudo o que tem relação com o choque térmico;

- Tomar 4 litros de água por dia;

- Não competir com ruído em ambientes barulhentos;

- Evitar roupas apertadas, principalmente na região do pescoço e da cintura;

- Evitar gritar ou falar durante muito tempo;

- Evitar bebidas alcóolicas, sprays, pastilhas, drops, pois estes atuam como anestésicos, melhorando a voz aparentemente e mascarando seu abuso;

- Evitar o fumo, pos o mesmo irrita a a mucosa de todo aparelho fonador, especialmente as pregas vocais.

Alguns dos sintomas de quem está com algum problema vocal são: ardência, dor na garganta, perda de voz ou rouquidão. A psicóloga alerta a necessidade de se procurar um médico otorrinolaringologista ou fonoaudiólogo caso os sintomas persistam.

Comentários

Mais lidas da semana