Pular para o conteúdo principal

Destaques

Passarinha: Livro sobre garota autista e seu pai lidando com o luto

Uma garota pré-adolescente no espectro autista (Síndrome de Asperger) chamada Caitlin perde o irmão em um tiroteio na escola e, além da dificuldade de entender e ser entendida pelos outros no colégio, ela tenta ajudar o pai a superar a morte de Devon. Assim é a trama do livro Passarinha (Mockingbird), da escritoraKathryn Erskine, publicado no Brasil pela Editora Valentina, em 2013.

Compre o livro Passarinha (Kathryn Erskine): https://amzn.to/2RV5PSt

Acredito muito no poder da literatura de entreter, informar e conscientizar sobre temas que nem sempre são abordados de forma suficiente na mídia ou que não são tão humanizados – a ficção ajuda com a empatia. Livros como Passarinha, A Diferença Invisível e Em Algum Lugar nas Estrelas deveriam ser trabalhados em salas de aula, levando em conta questões que vão além da literatura e ajudam na reflexão sobre inclusão social, amizade e relacionamentos de pessoas no espectro autista.

Narrado em primeira pessoa pela Caitlin, o livro Passarinha to…

Fonoaudióloga dá dicas de como cuidar da voz

Saber se comunicar bem é importante no campo pessoal e profissional, o que exige prática e cuidado com o aparelho fonador. A fonoaudióloga Luciana Helena R. Oshiro deu algumas dicas de como falar bem em um curso de extensão realizado nesta quarta-feira (2) no campi II do Centro Universitário Anhanguera (antiga Unaes) de Campo Grande.

A fonoaudióloga explica basicamente que comunicar-se é se fazer entendido pelo outro e que para aprender a se comunciar bem, no caso oralmente, não é fácil, é necessário técnica e treino.

"A voz é nossa identidade, através dela conseguimos passar para o outro o que estamos sentindo", explica Luciana Oshiro. A fonoaudióloga fala que é importante ter cuidado com a voz para não ter problemas.

Confira algumas dicas dadas pela fonoaudióloga sobre como cuidar da voz:

- Em primeiro lugar, evitar tudo o que tem relação com o choque térmico;

- Tomar 4 litros de água por dia;

- Não competir com ruído em ambientes barulhentos;

- Evitar roupas apertadas, principalmente na região do pescoço e da cintura;

- Evitar gritar ou falar durante muito tempo;

- Evitar bebidas alcóolicas, sprays, pastilhas, drops, pois estes atuam como anestésicos, melhorando a voz aparentemente e mascarando seu abuso;

- Evitar o fumo, pos o mesmo irrita a a mucosa de todo aparelho fonador, especialmente as pregas vocais.

Alguns dos sintomas de quem está com algum problema vocal são: ardência, dor na garganta, perda de voz ou rouquidão. A psicóloga alerta a necessidade de se procurar um médico otorrinolaringologista ou fonoaudiólogo caso os sintomas persistam.

Comentários

Mais lidas da semana