Pular para o conteúdo principal

Destaques

Resenha: Algum Dia — David Levithan

Pode o corpo alterar nossa percepção sobre a vida e o amor? E o que acontece quando todo dia mudamos de corpo e ainda assim tentamos manter um relacionamento? Em Algum Dia, do David Levithan, o leitor é levado a conhecer o desfecho da trilogia que encantou pessoas do mundo todo. No Brasil, a obra foi publicada pela Editora Galera Record, em 2020.

Compre o livro Algum Dia (David Levithan): https://amzn.to/3ifWxuE
Algum Dia foi um dos livros mais esperados por muitos leitores, entre eles: eu. Fui com muita expectativa na leitura. Não é que não tenha gostado do romance, mas senti falta de mais envolvimento entre os dois personagens principais. David Levithan nos deixa instigado por mais momentos entre Rhiannon e A, mas a narrativa acaba dando mais destaque para a condição do personagem sem corpo fixo.
"Agora eu sei: o amor não é tão simples. O amor nunca é sobre você dizer a si mesmo que deve fazer alguma coisa e então fazer. Nunca é sobre alguém te dizer que você deve fazer e por isso…

O Sucesso dos Tablets: Era Pós-PC

A reportagem do jornalista Bruno Ferrari "É como brinquedo de criança", publicada na revista Época, edição nº 675, em 25 de abril de 2011, aborda os tablets, suas facilidades e praticidades do uso, tanto pelas crianças que estão nascendo em uma era em que a presença digital é cada vez mais abundante e natural, quanto aos adultos que estão substituindo os computadores de mesa e notebooks pelos tablets. Para Ferrari, em um futuro próximo os computadores pessoais serão destinados às 'tarefas esporádicas e específicas'.

Ainda de acordo com o jornalista, após o lançamento do iPad, tablet da Apple, em janeiro de 2010 deu-se início a era pós-PC. De dispositivo eletrônico menosprezado a sucesso de vendas, o iPad tornou-se modelo de inspiração para outros aparelhos. "O sucesso do iPad gerou uma corrida dos concorrentes para lançar seus próprios tablets", conta Ferrari.

O jornalista relata diversos usos dos tablets e como eles estão substituindo os computadores pessoais em empresas e na vida pessoal, por exemplo, com a substituição de informações impressas pelas digitais, como forma de economizar os gastos com papel e a leveza dos aparelhos comparados ao peso de livros e documentos. Uma informação interessante apontada no texto é sobre o consumo de tablets não somente pelos tradicionais consumidores de PCs, mas por pessoas que não tinham afinidade com estas tecnologias.
 
Infelizmente a reportagem ainda não está disponível no site da revista para quem não tem cadastro. Quando a matéria estiver liberada a todos, divulgo o link aqui no blog.

Comentários

Mais lidas da semana