Pular para o conteúdo principal

Destaques

12 Graphic Novels que você precisa ler

Começou como uma forma de experimentação na leitura. Apesar de gostar de tirinhas, nunca tinha me aventurado pelo universo das graphic novels, como aconteceu há alguns anos – pelo menos, não de forma que me interessasse.

Percebo que cada vez mais pessoas estão se interessando pelos diferentes formatos de narrativas. Acho válida toda forma de contação de histórias e acredito que elas podem criar experiências complementares. Há espaço para todos gostos.


Com doze indicações de leitura, dá para ler um livro por mês ou ler todos em um só mês, dependendo do ritmo de leitura e da fome por histórias de cada um. Entre temáticas mais sociais e outras mais fantasiosas, as graphic novels podem ser uma porta de entrada para outros livros, como podem ocupar um espaço central no coração de quem é aficionado por histórias ilustradas.

Histórias que podem ir muito além de um passa-tempo, como se acreditava antigamente, mas também proporcionar reflexões sobre a vida, juntando o melhor dos dois mundos: d…

O Sucesso dos Tablets: Era Pós-PC

A reportagem do jornalista Bruno Ferrari "É como brinquedo de criança", publicada na revista Época, edição nº 675, em 25 de abril de 2011, aborda os tablets, suas facilidades e praticidades do uso, tanto pelas crianças que estão nascendo em uma era em que a presença digital é cada vez mais abundante e natural, quanto aos adultos que estão substituindo os computadores de mesa e notebooks pelos tablets. Para Ferrari, em um futuro próximo os computadores pessoais serão destinados às 'tarefas esporádicas e específicas'.

Ainda de acordo com o jornalista, após o lançamento do iPad, tablet da Apple, em janeiro de 2010 deu-se início a era pós-PC. De dispositivo eletrônico menosprezado a sucesso de vendas, o iPad tornou-se modelo de inspiração para outros aparelhos. "O sucesso do iPad gerou uma corrida dos concorrentes para lançar seus próprios tablets", conta Ferrari.

O jornalista relata diversos usos dos tablets e como eles estão substituindo os computadores pessoais em empresas e na vida pessoal, por exemplo, com a substituição de informações impressas pelas digitais, como forma de economizar os gastos com papel e a leveza dos aparelhos comparados ao peso de livros e documentos. Uma informação interessante apontada no texto é sobre o consumo de tablets não somente pelos tradicionais consumidores de PCs, mas por pessoas que não tinham afinidade com estas tecnologias.
 
Infelizmente a reportagem ainda não está disponível no site da revista para quem não tem cadastro. Quando a matéria estiver liberada a todos, divulgo o link aqui no blog.

Comentários

Mais lidas da semana