Pular para o conteúdo principal

Destaques

Revolutionary Love: Série coreana de drama explora o abismo que divide as classes sociais

Embora muitos dramas coreanos pequem na representatividade de diversidade racial e deem pouquíssimo espaço para estrangeiros e imigrantes, a série Revolutionary Love (2017) da tvN e no Brasil disponível temporariamente pela Netflix , acaba indo além dos elementos de comédia e romance, mostrando o drama das diferenças de classes sociais , os preconceitos e a possibilidade de imersão nesse mundo desconhecido pelo filho do dono de um dos maiores conglomerados de empresas da Coreia do Sul . A ingenuidade e a ignorância da realidade das classes trabalhadoras tornam o protagonista um tanto embaraçoso, lembrando de forma vaga a jornada de Buda quando conheceu a realidade fora do palácio e foi confrontado com a fome, a doença, a pobreza e a morte. Longe de ser uma série com alguma alegoria espiritual, mas do ponto de vista do comportamento é interessante acompanhar como Byun Hyuk (Choi Si-won) se torna mais empático e humanizado quando seu caminho cruza com o de Baek Joon (Kang So-ra) . E

Telejornal americano utiliza o Facebook para cobrir tornado em aeroporto

No dia 22 de abril um tornado passou na região de St. Louis, localizada em Missouri (EUA), destruiu casas e carros e deixou 47 mil pessoas sem eletricidade. O aeroporto internacional de Lambert-St. Louis teve que ser fechado. Para cobrir o tornado no aeroporto, o canal de TV da região, KMOV utilizou o Facebook para manter a população atualizada.

De acordo com o blog Lost Remote, por meio de atualizações frequentes da KMOV em sua página do Facebook, com maior frequência do que no Twitter, os espectadores enviavam relatos de danos e perguntas, várias vezes por minuto. Em frente ao computador, a metereologista Kristen Cornett publicou melhores fotos, vídeos e atualizações do Facebook no telejornal ao vivo.

Fundador e editor do Lost Remote, Cory Bergman conta que diferente de muitas estações de televisão, que durante grandes notícias de última hora só atualizam freneticamente ao vivo em seus telejornais e em seus sites, a KMOV também respondeu os fãs do Facebook em tempo real, não só para agradecer as fotos, mas também para responder às perguntas e preocupações.
 
Com o Facebook, a empresa soube utilizar uma ótima forma de interagir com a população e informar. Após o terremoto, a KMOV e os usuários continuam utilizando a página do Facebook, para mostrar os danos, através de fotos e vídeos, para organizar doações aos que precisam e relatar histórias, que muitas vezes, tornam-se fontes de notícias.

Comentários

Mais lidas da semana