Pular para o conteúdo principal

Destaques

Fake News de Saúde e Autismo: 10 Desafios de Combater o Charlatanismo

Estou só fazendo meu papel como jornalista de levar informações confiáveis. Para quem simpatiza com terapias sem comprovação científica que alegam curar o autismo, não leve para o lado pessoal. Se quiser levar, também já é uma questão sua para resolver internamente ou em terapia.


Repito: Até o momento, QUALQUER tratamento que alegue curar o autismo está sendo fraudulento. O autismo é condição neurobiológica para a vida. O que existem são pesquisas inconclusivas, gente que mente na cara de pau e/ou não tem conhecimento sobre neurociências.

Todo profissional de saúde tem dever ético de alertar sobre tratamentos falsos. Se a pessoa não alerta e ainda promete curas, abra os olhos.

Recomendo mais leitura sobre o assunto para ser menos enganado: mais livros sérios sobre autismo (nem todo livro é bom), mais pesquisas e estudos, mais conteúdos produzidos por organizações INTERNACIONAIS de autismo.

Desde que o autismo foi descoberto, teorias infundadas foram levantadas, especialmente por profiss…

Ebook sobre mídias sociais e transformações nos relacionamentos

'Mídias Sociais: Como estão transformando nossos relacionamentos pessoais e profissionais', ebook do autor Cezar Taurion, profissional e estudioso de Tecnonologia da Informação, publicado em junho de 2011, traz abordagens sobre as redes sociais desde 2007 a 2010, e seu uso nas empresas, mostrando como evoluiu a aceitação das plataformas de mídias sociais. O livro é uma coletânea de posts sobre Web 2.0 e computação social escritos por Taurion em seu blog.

O autor comenta sobre a velocidade das novidades e a importância do e-mail, que por alguns é considerado atrasado, dos blogs corporativos (um meio de interação com o mercado, clientes e parceiros), Twitter (imediatismo), Facebook, e outras plataformas, como Youtube e LinkedIn, ferramentas que deram voz ativa aos usuários, por meio da geração de conteúdos e propagação pelo mundo.

Sobre os blogs corporativos, por exemplo, o autor comenta sobre os medos que existiam em relação ao recebimento de comentários negativos dos clientes, a divulgação de informações internas pelos funcionários e ao comportamento ético. "Ter um blog corporativo significa que a empresa está disposta a ouvir. Mas também tem que saber como reagir", ressalta Taurion.

Em 2007, o autor participou de eventos sobre web 2.0, em que foram abordados o controle dos usuários, a colaboração e as inovações tecnológicas. Neste mesmo ano, o número de empresas que tinham blogs corporativos era ínfimo comparado a recomendação que se tem hoje de utilizar o blog como um canal de comunicação com os clientes. Taurion já alertava para a necessidade de se ter um blog com conteúdos atualizados e de valor, de crebilidade, conteúdo de nichos e navegabilidade fácil.

Inovações tecnológicas geralmente assustam os empresários e são ignoradas, até que sejam finalmente incorporadas. Da mesma forma que o acesso a web e e-mail eram proibidos nas empresas, o autor do livro já ressaltava que era inútil a proibição dos blogs, wikis e mídias sociais. "A nova geração digital ao entrar no mercado de trabalho vai estar tão acostumada a estes conceitos que não saberá trabalhar sem eles", argumenta Taurion no livro.

No livro eletrônico, com 78 páginas, você também encontra mais informações sobre privacidade, Geração Y, possível fim do e-mail, mídias sociais, wikipedia, mecanismos de buscas (buscadores gerais e especializados), além de uma ótima recomendação bibliográfica.
 
Faça download do ebook

Comentários

Mais lidas da semana