Pular para o conteúdo principal

Destaques

Rede Sombria: Documentários sobre o lado tenebroso da tecnologia

Tecnologia, poder e controle. Se você gosta de Black Mirror e outras histórias de ficção científica, sem dúvidas vai se interessar pela série de documentários Rede Sombria (Dark Net), criada por Mati Kochavi para o canal Showtime, disponível no momento no catálogo da Netflix Brasil.


A série de duas temporadas e um total de 16 episódios aborda diferentes maneiras que a tecnologia foi/será incorporada no nosso dia a dia e quais são/serão seus impactos positivos e negativos e o lado sombrio do universo digital.

Privacidade, polarização, redes sociais, reconhecimento facial, inteligência artificial, relacionamentos virtuais, biohackeamento, crimes cibernéticos, moderadores de conteúdos da internet, abusos policiais, lavagem cerebral, segurança, realidade virtual, entre outros assuntos são discutidos em Rede Sombria.

Ao mesmo tempo em que a internet e a tecnologia podem ser ótimas ferramentas, nas mãos de pessoas mal-intencionadas muitas questões éticas e criminais ainda devem ser discutid…

Jornalismo para Web


No texto da Doutora Luciana Mielniczuk "Sistematizando alguns conhecimentos sobre jornalismo na web" são trabalhados alguns conceitos relacionados ao jornalismo da internet. De acordo com o trabalho ainda não existe um consenso sobre as terminologias relacionados a este tipo de jornalismo.

Jornalismo eletrônico, jornalismo digital, ciberjornalismo, webjornalismo e jornalismo online... Todos os termos estão relacionados ao jornalismo e variam de acordo com a sua produção. O entendimento de cada um dos termos utilizados pela autora contribuiram com o desenvolvimento do estudo sobre o fenômeno, além de possibilitar melhor descrição. Estas conceituações foram realizadas de acordo com pesquisa bibliográfica e na observação empírica dos produtos desenvolvidos po web, e mostram os diferentes pontos de vistas de autores da área.

Concordo com Luciana Mielniczuk quando ela diz que o jornalismo eletrônico engloba os outros termos como jornalismo online e jornalismo digital, pois quando se trata de eletrônico, não necessariamente está voltado para a internet. Por exemplo, para produzir uma matéria o jornalista (captação) pode-se utilizar de gravador, câmera fotográfica digital e até um computador, mas o conteúdo não será necessariamente publicado (disseminação) na internet, podendo ser utilizado em outros meios de comunicação, como jornal impresso, programa televisivo ou rádio.

Ainda de acordo com a autora citando Bastos (2000), o jornalismo online estaria relacionado a apuração realizada nas redes e o jornalismo digital à disponibilização dos produtos. Acredito que a definição dos termos ficaram confusas, pois quando penso em jornalismo online, penso nos produtos jornalísticos disponibilizados na internet, no processo todo, desde a pesquisa de fontes, apuração de conteúdos e a publicação na web. O jornalismo digital, no meu ponto de vista, estaria relacionado à transformação do conteúdo real para o digital ou ao seu nascimento 100% digital. Todavia, Mielniczuk cita também Machado (2000), que prefere a utilização de jornalismo digital para o suporte e o termo online mais restrito.

O jornalismo digital, segundo o trabalho, também é conhecido como jornalismo multimídia. Concordo com a definição da autora, pois na internet existe a convergência de diferentes meios de comunicação, podendo ter natureza de texto, som e imagem. Além dos termos citados acima, a autora ainda comenta sobre o ciberjornalismo, relacionado à cibernética e ao ciberespaço, com a utilização de banco de dados para a elaboração de matéria.

De todos os termos, o mais específico é o Webjornalismo, onde este é apropriado especificamente para a internet.

Apesar de serem termos relativamente confusos, a relação entre cada um deles possibilita o melhor entendimento. Jornalismo eletrônico > Jornalismo Digital > Ciberjornalismo > Jornalismo Online > Webjornalismo. Atualmente os jornalistas entram em contato com cada um desses termos, portanto seria mais fácil a utilização genêrica de ciberjornalismo, quando se tratar de conteúdos para Web, já que os outros termos são mais específicos e os outros englobam a produção jornalística para os outros meios de comunicação de massa.

Para concluir, assim como Mielniczuk afirma que é necessário um vocabulário comum que facilite e agilize o diálogo, também acredito na importância do desenvolvimento de mais estudos na área. 

Comentários

Mais lidas da semana