Pular para o conteúdo principal

Destaques

Antraz: Documentário da Netflix revela investigações feitas pelo FBI durante anos

Um pouco após os atentados terroristas contra as torres gêmeas, em Nova Iorque, Estados Unidos, no 11 de setembro de 2001, uma ameaça de antraz colocou as autoridades, como o FBI em alerta, e espalhou pânico nos norte-americanos devido à facilidade de se espalhar sem as pessoas saberem.  Dirigido e roteirizado por Dan Krauss e produzido pela Netflix e pela BBC, 21 anos após o ataque e o primeiro caso de circulação do antraz, o documentário Antraz: EUA Sob Ataque (The Anthrax Attacks) leva o telespectador para as investigações do FBI que duraram anos. O que a princípio foi alvo de muita pressão para a solução do caso, principalmente pelo medo dos norte-americanos do esporo da bactéria continuar se espalhando pelas cartas e fazendo mais pessoas adoecerem e/ou morrerem, logo foi caindo no esquecimento conforme as investigações desenrolavam fora dos holofotes.  Com a proximidade do caso do ataque às torres gêmeas, à primeira vista, o pânico generalizado fez com quem os norte-americanos

Pesquisa aponta maior tráfego para os sites de jornais


No dia 17 de abril de 2012 o Observatório da Imprensa publicou uma coluna escrita por Caique Severo e publicada no iG, no dia 17 de abril de 2012, sobre as principais fontes de tráfego para os sites de jornais.

O colunista argumentou no artigo que o tráfego de sites de jornais está relacionado à marca do veículo. As informações foram obtidas através um estudo sobre audiência de sites realizado pelo IVC (Instituto Verificador de Audiência).

A audiência dos sites e o seu crescimento são apontados no texto: tráfego direto (quando a pessoa sabe qual site está procurando ou já tem ele guardado), tráfego vindo de buscadores. Já o tráfego vindo das redes sociais cresceu pouco, apesar de serem muito utilizadas pelos usuários.

Confira o texto na íntegra: Marca é a principal fonte de tráfego de sites de jornais 

Comentários

Mais lidas da semana