Pular para o conteúdo principal

Destaques

Resenha: Algum Dia — David Levithan

Pode o corpo alterar nossa percepção sobre a vida e o amor? E o que acontece quando todo dia mudamos de corpo e ainda assim tentamos manter um relacionamento? Em Algum Dia, do David Levithan, o leitor é levado a conhecer o desfecho da trilogia que encantou pessoas do mundo todo. No Brasil, a obra foi publicada pela Editora Galera Record, em 2020.

Compre o livro Algum Dia (David Levithan): https://amzn.to/3ifWxuE
Algum Dia foi um dos livros mais esperados por muitos leitores, entre eles: eu. Fui com muita expectativa na leitura. Não é que não tenha gostado do romance, mas senti falta de mais envolvimento entre os dois personagens principais. David Levithan nos deixa instigado por mais momentos entre Rhiannon e A, mas a narrativa acaba dando mais destaque para a condição do personagem sem corpo fixo.
"Agora eu sei: o amor não é tão simples. O amor nunca é sobre você dizer a si mesmo que deve fazer alguma coisa e então fazer. Nunca é sobre alguém te dizer que você deve fazer e por isso…

Artigo aborda estudantes de jornalismo e a dificuldade com o português


No dia 08 de maio de 2012 o Observatório da Imprensa divulgou o artigo sobre a dificuldade de muitos alunos de jornalismo, escrito pelo Mestre em Comunicação Social e professor de Jornalismo em Belo Horizonte, Ivan Satuf Rezende.

O autor comenta que existem diversos debates sobre os cursos de jornalismo no Brasil, como a questão do diploma, mas o que tem chamado a atenção em relação aos estudos é a língua portuguesa e baixa qualidade dos textos dos alunos.

Mesmo com o nivelamento das universidades, no qual o curso é bastante concorrido em algumas instituições, e em outras sobram vagas, o professor de jornalismo argumenta que este problema é atribuído à formação falha nos ensinos fundamental e médio.

Uma das soluções propostas pelo autor é óbvia e deveria ser seguida pelos acadêmicos de jornalismo sem uma orientação prévia. "Quem não lê não escreve", constata. Ivan Satuf Rezende recomenda a leitura de literatura, jornais e revistas, pois a escrita é ofício do jornalista, mesmo os que trabalham com os meios audivisuais.

Leia o artigo na íntegra: Os alunos que temos e a missão que assumimos  

Comentários

  1. Esse (português) é o espinho na carne (do jornalista)!
    Podemos usar a ERRATA para corrigir grafias, porém que muleta usaremos para a pobreza de texto?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Mais lidas da semana