Pular para o conteúdo principal

Destaques

Twin Flames: Das escolhas quando o juramento de amor e proteção se torna tóxico

Twin Flames são lindas nos livros, filmes, séries, músicas e demais expressões artísticas. Na vida real, no entanto, elas podem te levar ao céu e ao inferno em questão de minutos. Uma conexão de vidas passadas, presente e futuras; um casal destinado a se reencontrar de novo e de novo, até evoluírem na jornada espiritual, ficarem juntos novamente ou finalmente romperem o contrato de alma. Como cão e gato, um dos dois segue o outro; depois, o papel se inverte: caça vira caçador. Uma jornada intensa, complexa, repleta de emoções intensas capazes de te salvar nos dias sombrios e te proteger do mundo, afastando pessoas que podem te machucar ou com intenções ocultas; porém, nos dias de luz, a menos que estejam na fase de união, a fase de distanciamento pode quase te enlouquecer ao esperar uma reconciliação que pode levar anos ou nunca vir – especialmente, quando uma das duas decide se afastar intencionalmente e te ignorar, mas ao mesmo tempo, não consegue romper a conexão espiritual entre vo

Pós-Modernidade e Mídias Sociais


Estudar a pós-modernidade durante o primeiro semestre deste ano me fez refletir bastante sobre os atuais hábitos da sociedade e, principalmente, o comportamento dos usuários nas mídias sociais, como Facebook e Twitter, por exemplo.

Nos tempos atuais tudo é tão fragmentado e estético. Basta observar os milhares de trechos de textos, vídeos e imagens compartilhados a cada segundo. São frases que tentam transmitir alguma mensagem, e por vezes até conseguem, porém quando utilizadas fora de contexto podem perder o seu real significado.

Trechos de músicas, filmes, seriados, livros, entrevistas e opiniões são as principais publicações, seja por conta da identificação com o seu conteúdo, do entretenimento ou da relevância.

As redes sociais são como se fossem uma grande vitrine, onde queremos mostrar somente o nosso lado bom e transmitir uma imagem nossa hipervalorizada. A impressão que se tem quando alguém posta diversas frases de um autor é a de que esse é um fã de suas criações, porém para gostar delas é preciso no mínimo conhecer sua origem e entender sua essência, e não é o que acontece na prática.

Não vejo nenhum problema, por exemplo, em divulgar frases de Clarice Lispector ou de qualquer outro autor, mas as frases da autora chegam a ser patéticas quando usadas fora de suas obras, pois ficam muito parecidas com uma espécie de auto-ajuda.

Enquanto perdemos nosso tempo tentando mostrar algo que às vezes não condiz com nossa realidade, pois no ciberespaço nossa vida virtual se confunde e mistura com a real, deixamos a vida acontecer e passar diante dos nossos olhos.

As mídias sociais perderam o papel de ferramentas e nós nos tornamos seus escravos. Se não compartilhamos algo é como se simplesmente não tivesse acontecido.Talvez seja preciso mudar a mentalidade de "Você é o que você compartilha" e começar a pensar mais em "Compartilhar menos e ser mais".

Comentários

Mais lidas da semana