Pular para o conteúdo principal

Destaques

My Shy Boss: Série de drama sul-coreano tem protagonista com fobia social e segredos

My Shy Boss (Introverted Boss/Naesungjukin Boseu/내성적인 보스) é uma série de drama romântico sul-coreano sobre a relação entre um chefe de uma empresa de Relações Públicas e uma jovem atriz extrovertida tentando descobrir a verdade sobre um acontecimento do passado que envolveu sua irmã. Lançada em 2017, a série da tvN (canal de televisão da Coreia do Sul) está disponível na Netflix Brasil por tempo indeterminado. Para quem sente falta de ver personagens com dificuldades de comunicação e interação em seriados, My Shy Boss tem Eun Hwan-ki (Yeon Woo-Jin) , um protagonista que evita o máximo possível falar com os funcionários de sua empresa, de forma que gera estranhamento nos outros. Sempre com seu casaco preto de capuz, sua timidez chama a atenção de forma negativa por onde passa. Até se acostumar com o personagem principal, fica difícil compreender alguns dos seus comportamentos. Se é contraditório para os próprios funcionários, para a família dele e até mesmo para alguns clientes insat

Resenha: Como a Starbucks salvou minha vida – Michael Gates Gill

"Como a Starbucks salvou minha vida" é um livro auto-biográfico escrito por Michael Gates Gill, um ex-publicitário, diretor de criação da J. Walter Thompson, que trabalhou durante 25 anos na empresa até ser demitido. A vida do homem começou a mudar aos 63 anos, após ele conseguir um emprego na Starbucks.

Uma série de escolhas feitas por Mike durante a vida o levaram à falência e também à solidão. Pai de cinco filhos, o homem era aficionado pelo antigo trabalho e perdeu importantes momentos com a sua família. Não bastando a ausência em sua casa, Michael envolveu-se com uma psicóloga estéril, que acabou ficando grávida.

Para a mulher, ficar grávida era um milagre e a mesma decidiu que teria a criança. Mike contou para a esposa sobre o caso e gravidez, e ela pediu separação. O homem deixou a casa e algumas economias para o filho.

Além de separado, o velho foi demitido do seu emprego na agência de publicidade pela funcionário que uma vez tinha indicado e ajudado a fazer parte da equipe da empresa. Com mais tempo livre, Mike aproveitou para passar mais tempo com o seu novo filho e a mãe dele, uma forma de compensar a ausência com seus outros filhos, porém a mulher deixou de achá-lo interessante.

Mike tentou abrir o próprio negócio mas as coisas não deram certo. Falido, o homem descobre que tem um tipo raro de cancer e precisa fazer uma cirurgia no cérebro. Uma proposta de emprego faz ele refletir sobre sua vida, preconceitos, limitações, diversidade.

A conquista da vaga faz Mike confrontar o seu passado e mudar suas atitudes. O homem que não andava de transporte público, morava numa casa grande e nunca tinha limpado nada a vida toda, torna-se um funcionário da Starbucks, responsável por diferentes funções, entre elas a limpeza de banheiro, precisa andar de metrô e lidar com diferentes pessoas diariamente.

Confesso que comprei o livro por causa do preço de aproximadamente R$9,00. A história envolvente e sobre valores me surpreendeu à medida que eu lia e no final, mostrou-se uma boa surpresa: um daqueles livros que você não se imaginaria lendo, mas acaba gostando e recomendando a leitura. Mais do que relatar o crescimento de um funcionário dentro da Starbucks que saiu da zona de conforto, o autor nos leva a refletir sobre as prioridades da vida.

PS: Impossível terminar de ler o livro sem sentir vontade de tomar um bom café.

Comentários

Mais lidas da semana