Pular para o conteúdo principal

Destaques

Autismo: Entre fofocas e intrigas

Aviso aos bonitos e bonitas que sempre jogam meu nome e dos colegas nos grupos de Facebook e WhatsApp: alguém de vocês sempre solta algo e de um jeito ou de outro, chega até mim.


Minha dica é: quer falar mal? Fala à vontade. Se quiser, eu falo junto. Não tenho vergonha de fazer autocrítica, aliás, recomendo a todos.

Agora, se me difamar e/ou queimar minha reputação, o bicho pega.

Nesta página, não trabalho com indiretas. Só com diretas mesmo.

Já disse que nem todo autista é bonzinho, né? 😈

Dica para os anjinhos e neurotípicos: Arranjem hobbies e outros hiperfocos, ocupem a cabeça com outras coisas que não sejam só esse mundinho de intrigas do autismo.

Um grande filósofo pós-moderno, Benstein Oliveira disse que a fofoca viaja à velocidade da luz e que ela vem de todos cantos e cores do autismo. Nem WhatsApp eu uso, mas as conversas de lá sempre chegam aqui. Por que será, gente?

Formado em Harvard na arte das fofocas chegarem até mim. Parece que sou ímã para embuste.

Leia também:
Autism…

Química, Tempo e Pessoas

Nada como uma química forte para fazer todo o seu organismo se descontrolar. Às vezes basta um aperto de mão, um olhar e um sorriso para te deixar perdido nos pensamentos e sonhando acordado. Melhor do que qualquer droga artificial responsável pela alucinação e prazer, o nosso corpo e cérebro reagem liberando substâncias a um simples contato.

Coração acelerado, sorriso no rosto, brilho nos olhos e um leve nervosismo entregam aquilo que tentamos esconder até de nós mesmos. Diferente de substâncias que explodem e mudam de cor quando reagem entre si, quando pessoas estabelecem uma conexão, nem sempre é possível observar. Nossas explosões são como um terremoto, no qual toda ação se desenvolve no interior da Terra e não conseguimos enxergar, mas podemos sentir com maior ou menor intensidade.

O mesmo tempo que te ajuda a superar algumas situações e esquecer pessoas é aquele que traz novidades boas, diferentes sensações e encontros inesperados. Mais gostoso do que refletir sobre sua vida e acompanhar o seu próprio desenvolvimento é maravilhar-se com a maneira na qual algumas pessoas mudam com o passar dos anos, ou melhor, conhecê-las e tirar todas aquelas impressões que você tinha sobre elas.

Enquanto algumas pessoas afastam-se e desaparecem da sua vida, outras reaparecem e te fazem tão bem que não podem imaginar. Talvez o passado sempre volte e não seja possível escapar dele, como dizem, mas nem todo fantasma surge para assombrar.

Acontecimentos recentes me fizeram pensar no poder do tempo sobre as pessoas e seus relacionamentos. O que era bom ontem, já não é mais hoje, e vice-versa.

Quantas pessoas fizeram parte de nossas vidas e acreditamos que elas permaneceriam por perto por um bom tempo, para não ser utópico e dizer a vida toda, e não se mostraram quem você esperava que elas fossem, te decepcionaram ou simplesmente sumiram?

Lembranças, esperanças, sonhos, sentimentos, confiança, verdades, promessas... Ao longo de nossas existências vemos todos esses elementos serem destruídos e levamos certo tempo para recuperá-los. Às vezes, não importa quanto tempo passe, as coisas nunca mais serão as mesmas, o que não sei dizer se é bom ou ruim, apenas diferente. Diferente a ponto de você já não reconhecer a pessoa mais ou a identificar que algumas coisas nunca mudam, te fazendo questionar como você poderia ter gostado de tal pessoa em algum momento da sua vida.

Algumas pessoas passam de forma tão rápida na sua vida que nem mesmo dão tempo para lembrar delas... Outras fizeram tanta falta e trouxeram tanta dor, que hoje não passam de memórias mortas e indiferentes para o presente. Todavia, existem aqueles que vieram trazer luz e renovar as esperanças de que a vida ainda pode te surpreender. Pessoas cujas alegrias e tristezas tornaram-se um aprendizado e até mesmo suas fortalezas, e fizeram do tempo o seu melhor professor.

Comentários

  1. "Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós." Antoine de Saint-Exupéry

    E assim é a vida. Assim são as pessoas. Tragam o que trouxerem, aquilo que trazem é sempre o melhor para o momento. Tudo tem uma razão. Quantas vezes não nos vemos em situações difíceis, ruins e pensamos que não podemos aguentar? Ou mesmo nos perguntamos se aquilo está acontecendo apenas para nos fazer sofrer. O ciclo fecha. As contas se acertam. A poeira baixa. Então nasce um novo dia, e brotam outras flores e chegam outras pessoas, trazendo outras situações. A verdade é que não importa o quanto alguém te machuque ou te cure, o que importa é a marca que essa pessoa vai deixar na sua vida. Um dia você vai se ver na mesma situação, se perguntando o motivo da dificuldade, analisando suas forças. A diferença é que com o tempo, e com esse vai-e-vem, as marcas ficam, a experiência se acumula e a bagagem é usada à favor do melhor. Você percebe que tudo é perfeito no exato momento em que acontece. E é aí que você olha para trás e abre mão do medo, dos anseios moribundos, das culpas, do ódio. Você aceita o que te aconteceu, aceita o que está acontecendo e usa disso para fazer toda a diferença. É preciso provar do amargo para fazer melhor proveito do doce. Celebremos nossas vidas e todos que passaram por ela. Afinal, nada é em vão.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Mais lidas da semana