Pular para o conteúdo principal

Destaques

Resenha: O Sol Ainda Brilha – Anthony Ray Hinton

Liberdade é uma palavra duvidosa, mas talvez faça mais sentido quando somos mais privados dela ainda. No livro O Sol Ainda Brilha (The Sun Does Shine), escrito por Anthony Ray Hinton com Lara Love Hardin, o leitor é apresentado à história trágica de um homem que passou 30 anos no corredor da morte por assassinatos que não cometeu. A obra foi publicada no Brasil pela Editora Vestígio, em 2019, com tradução de Luis Reyes Gil.


Compre o livro O Sol Ainda Brilha (Anthony Ray Hinton com Lara Love Hardin): https://amzn.to/2qLwYeP

Quem poderá dizer que é realmente livre? Ou que acredita que a justiça sempre acerta? O Sol Ainda Brilha pode servir como um conto caucionário sobre o sistema judiciário, especialmente em regiões com penas mais severas. O autor nos faz refletir sobre a existência de outras pessoas inocentes que também foram mandadas para o corredor da morte.

“Os sons à noite davam a impressão de se estar no meio de um filme de horror – criaturas rastejando, homens gemendo, gritando ou…

A Realidade e os Contos de Fadas


Não é difícil imaginar a razão pela qual os contos de fadas fizeram e ainda fazem sucesso entre as pessoas de todas as idades. Lembrando que os mesmos foram produzidos originalmente para adultos, tratando de assuntos polêmicos relacionados à moralidade e ao sexo, por exemplo, e adaptados posteriormente para os mais novos.

Ao assistir Once Upon A Time, uma série televisiva onde diversos contos de fadas foram adaptados e suas histórias são interconectadas, os roteiristas mostram como é possível essa convergência. Entre os motivos da interconexão bem-sucedida, na qual várias histórias juntas formam uma maior, estão os heróis que enfrentam o mal e as abordagens de diversos assuntos tratados durante as nossas vidas, como os relacionamentos, sonhos, medos, doenças, vida e morte.

Para quem consegue enxergar nas histórias, mesmo as de ficção, além do horizonte, os contos de fadas são ótimas opções de entretenimento e de renovação das esperanças. Em um mundo em que a matéria e o capital são cada vez mais valorizados e as relações e sentimentos são deixados de lado, às vezes é preciso acreditar que o bem ou amor vai triunfar sobre as coisas ruins da vida.

Tudo aquilo que contribui para a nossa felicidade, também faz bem para a nossa saúde. Enquanto a humanidade perde cada vez mais as noções de contato humano, amor e da moral, a tradição dos contos de fadas de abordar a vida em sociedade, valores culturais, angústias e confrontos do ser humano auxiliam o desenvolvimento das crianças e uma espécie de resgate dos adultos.

Fantasia e realidade se misturam. O olhar mais atento aponta que não existem tantas diferenças entre os personagens fictícios, suas histórias e os nossos cotidianos. As características físicas e mágicas podem contrastar com o mundo real, mas quando se tratam dos sentimentos, intenções e comportamentos, nós conseguimos enxergar um pouco de nossas essências dentro de cada um dos personagens.

É possível observar um padrão nas histórias dos contos de fadas, no qual os personagens principais, geralmente, precisam lidar com situações sozinhos (escolhas) e passam por coisas boas e ruins, muitas vezes, mudando as suas perspectivas sobre a vida.

“E eles viveram felizes para sempre”, quem é que não deseja alcançar a felicidade eterna? Seja por meio de teorias ou por experiência própria, aprendemos que a felicidade é temporária e seria utópico tentar buscar o inalcançável. Todavia, através das histórias encontramos conforto, apoio e a esperança de que as dificuldades podem ser superadas. Tais quais os personagens, às vezes também precisamos nos perder nas florestas negras, enfrentar diferentes criaturas e situações, para finalmente encontrarmos a felicidade.

O que as histórias tentam passar são a necessidade de aprender o certo e o errado, a importância do desenvolvimento individual e de saber viver em sociedade. No final das contas, talvez não é tão difícil assim “viver feliz para sempre”.

Comentários

  1. Muito bom Ben, adorei de verdade. Por isso da importância de buscar sempre a felicidade, ela pode tardar mas acho que chega para todos que a buscam :)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Mais lidas da semana