Pular para o conteúdo principal

Destaques

Quem Matou Sara?: Série mexicana da Netflix prende a atenção do início ao fim

Para quem está procurando uma série de vingança, segredos e muitas reviravoltas, Quem Matou Sara? (Who Killed Sara?/¿Quién mató a Sara? ) é uma ótima indicação. A série mexicana foi produzida pela Perro Azul para a Netflix , criada por José Ignacio Valenzuela e com episódios dirigidos por David Ruiz e Bernardo de la Rosa . Se você gosta de séries com personagens complexos e situações dramáticas, sem abrir mão da ação, como Revenge, How To Get Away With Murder e The Sinner, Quem Matou Sara? Vai te conquistar do primeiro até o último episódio da primeira temporada e te deixar com gostinho de quero mais ao conferir uma prévia do que vem na próxima temporada. Depois de 18 anos na prisão por um crime que não cometeu, Alejandro Guzmán (Manolo Cardona) passou anos se planejando para o dia em que saísse e começasse sua jornada à procura da verdade e da justiça: se vingar do real culpado pela morte de sua irmã e daqueles que traíram sua confiança. Entre sua luta no presente para encontrar in

Resenha: A Lógica da Emoção – Manoelita Dias dos Santos

No livro "A Lógica da Emoção: da psicanálise à física quântica", a autora do livro e psiquiatra, Manoelita Dias dos Santos aborda qual é a relação entre as emoções, os processos internos e externos na vida humana, por meio de teóricos que investigam e tentam compreender o homem e teorias da física que estudam a energia e eventos das moléculas e átomos.

O que Freud entendeu e explicou em livros como "O Mal-Estar na Civilização", publicado em 1929, época em que foi possível analisar como a cultura de consumo e a civilização estão contribuindo com as fontes de infelicidade humana, Manoelita Dias dos Santos utiliza-se dos conceitos apresentados pelo Pai da Psicanálise e faz uma ponte com os dias atuais.

Apesar dos escritos de Freud terem servido como uma espécie de profecia sobre o comportamento humano atual, as diferentes transformações da tecnologia e da vida social foram além do que o psicanalista podia prever. Muitas das insatisfações do homem descritas por Freud se davam devido a um período pós-guerra, ou seja, a um diferente contexto, e em uma época no qual o sexo, os direitos das mulheres e a liberdade eram restritos.

As pessoas lutavam pelos direitos e liberdade, e hoje em dia existe o mito de que elas alcançaram o que desejavam, todavia, elas não percebem que se tornaram escravas do consumismo e como esse modo de vida influenciou também suas relações pessoais. Manoelita cita diferentes exemplos no livro, como o das aldeias indígenas onde houve a perda de identidade, o convívio entre diferentes gerações e a necessidade dos elos afetivos dentro das famílias e da sociedade.

Manoelita Dias dos Santos consegue ensinar como os aspectos exteriores podem afetar as nossas emoções. Sobre a felicidade, por exemplo, a psiquiatra explica que não devemos buscar uma solução mágica e instantânea, caso contrário, o problema pode retornar. A privação do prazer causa a infelicidade e consequentemente a doença.

Talvez mais do que a preocupação com os diferentes vírus, bactérias e parasitas causadores de diversas doenças, um dos maiores desafios dos últimos séculos é entender a relação entre o nosso modo de vida e como isso pode afetar a nossa saúde. A autora do livro ressalta a importância de se buscar o equilíbrio.

Todos nós buscamos a felicidade e o amor, e como as diferentes religiões e filosofias tem nos mostrado durante os diferentes séculos, estes dois elementos combinados são responsáveis pela saúde humana.

Com tantas preocupações relacionadas à produção e ao consumo, o ser humano tem tentado buscar a solução de seus problemas no trabalho e esquecido de si mesmo e das outras pessoas. Através da explicação da autora, é possível entender as fontes de felicidade e frustrações nas diferentes fases da vida: desde a infância e adolescência até a fase adulta e senescência.

De maneira sucinta a autora trabalha conceitos como ID, Ego e Superego, Eros e Thanatos, consciente e inconsciente, educação, felicidade, doenças, neuroses, ética, trabalho, aposentadoria, desenvolvimento infantil, entre outros de importância para a vida em sociedade e equilíbrio interno. Em tempos frenéticos, um dos maiores desafios é o de saber buscar a desaceleração e paz.

Fica aqui a minha recomendação de leitura para quem deseja entender melhor o comportamento humano, a sociedade e aquilo o que o homem deseja desde os seus primórdios, a felicidade.

Comentários

  1. li o livro e achei muito interessante

    ResponderExcluir
  2. Cara, conseguiu fazer síntese muito abrangente sobre o livro, muito bom mesmo.
    Eu li o livro em 2010, mas lendo agora seu texto, relembrei de todo o livro. Parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Anônimo!
      Gratidão pelo comentário. Fico feliz que tenha gostado.
      Abraços

      Excluir
  3. Olá, você sabe me dizer em que ano foi escrito esse livro?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Mais lidas da semana