Pular para o conteúdo principal

Destaques

Happy Old Year: Filme explora a linha tênue entre o desapego e a nostalgia

O filme tailandês Happy Old Year , de 2019, nos faz pensar sobre as relações que construímos com as coisas que guardamos ao longo da vida. Com direção e roteiro de Nawapol Thamrongrattanarit, a obra está disponível na Netflix. Chutimon Chuengcharoensukying interpreta Jean, uma mulher que deseja fazer um escritório em sua casa, mas se dá conta de que há uma pilha de objetos inutilizados pela casa. Interessada e inspirada pelo minimalismo, se dependesse só dela, ela colocaria tudo em sacos de lixo e jogaria fora, o que ela descreve como buracos negros, porém, à medida que ela coloca o seu plano em ação, Jean percebe que não será tão fácil como imaginava. Com a resistência da família a mudar, Jean encara de frente sua missão, doa em quem doer. O que deveria ser fácil e prático para ela, cuja necessidade é vista até mesmo como egoísmo, acaba se desdobrando em várias situações, fases e etapas conforme ela mergulha nas histórias, memórias e emoções que estão vinculadas aos objetos, especialm

Jornalismo Esportivo é abordado em palestra na UCDB


*Texto: Ben Oliveira

Na manhã desta quinta-feira, 8 de novembro de 2012,o jornalista da TV Morena, Átilla Eugênio ministrou uma palestra sobre Jornalismo Esportivo em Campo Grande (MS), no auditório da biblioteca da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), durante o evento PropUP - Eleve suas ideias.

Jornalista Átilla Eugênio esclareceu dúvidas relacionadas
ao jornalismo esportivo. Foto: Hygor Benevides.
Átilla Eugênio explicou que para trabalhar com jornalismo esportivo é preciso gostar de esportes. "Eu só faço esporte com gosto porque eu gosto. Eu me identifico", declarou o jornalista.

Segundo o palestrante, o desenvolvimento tecnológico, os usuários conectados e a preocupação da mídia possibilitou a divulgação de notícias instantâneas e aumentou o contato com o público. "Conseguimos ganhar uma gama de imagens e transmitir", justifica. Para Átilla, o esporte aliado ao marketing e ao entretenimentou ganhou peso. "A transmissão que era um espetáculo, virou um megaepetáculo", acredita.

A partir dos anos 2000, Átilla Eugênio explicou que os jornalistas ganharam uma oportunidade de falar e explorar melhorar os assuntos. O jornalista comparou, por exemplo, Léo Batista (considerado o mais antigo apresentador em atividade na televisão brasileira) e Tadeu Schmidt representantes de diferentes épocas do jornalismo esportivo e com suas respectivas linguagens, sendo uma certinha, quadrada e comportada e a  outra divertida, natural e intimista.

"O esporte no dia-a-dia requer um pouco de atenção", argumenta Átilla Eugênio. O palestrante orientou que é possível se diferenciar através da pesquisa de estatísticas, lembrança de datas importantes e descoberta de histórias.

Além de responder as dúvidas dos acadêmicos de Comunicação Social e profissionais de jornalismo presentes no evento, Átilla Eugêneio recomendou aos universitários a aproveitarem a estrutura e equipamentos da instituição para criar produtos criativos.

O PropUP - Eleve suas ideias foi organizado pelo curso de Publicidade e Propaganda da UCDB e pela Agência Experimental Mais Comunicação.

Comentários

Mais lidas da semana