Pular para o conteúdo principal

Destaques

Sobre rabiscos e telas brancas

A tela branca pode ser um convite à explosão criativa ou uma tortura ao artista que sente seu espírito definhando diante da pesada realidade. Em tempos de crise e ódio, a arte fica esquecida e é vista como desimportante; ironicamente, é quando mais precisamos dela, de algo que nos faça sentir vivo e toque as partes atordoadas.


O som dos dedos se movendo pelo teclado era como fantasmas de uma vida distante. É incrível perceber quantas vezes nós deixamos algumas partes nossas morrerem ao longo de nossas existências; as máscaras, antes tão confortáveis, agora incomodam e não nos servem mais. Leva tempo até ficarmos satisfeitos e ajustados à nova realidade. Viver é admitir que sabemos pouco sobre nós mesmos e há sempre algo novo que pode nos transformar, seja para o bem ou para o mal.

O artista encara a tinta respingando pela tela. Para o espectador sem intimidade, nada faz sentido, a desconexão de ideias é tormentosa; para ele, o lembrete de que sua arte nunca o abandonaria. Como poderia…

Jornalismo Esportivo é abordado em palestra na UCDB


*Texto: Ben Oliveira

Na manhã desta quinta-feira, 8 de novembro de 2012,o jornalista da TV Morena, Átilla Eugênio ministrou uma palestra sobre Jornalismo Esportivo em Campo Grande (MS), no auditório da biblioteca da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), durante o evento PropUP - Eleve suas ideias.

Jornalista Átilla Eugênio esclareceu dúvidas relacionadas
ao jornalismo esportivo. Foto: Hygor Benevides.
Átilla Eugênio explicou que para trabalhar com jornalismo esportivo é preciso gostar de esportes. "Eu só faço esporte com gosto porque eu gosto. Eu me identifico", declarou o jornalista.

Segundo o palestrante, o desenvolvimento tecnológico, os usuários conectados e a preocupação da mídia possibilitou a divulgação de notícias instantâneas e aumentou o contato com o público. "Conseguimos ganhar uma gama de imagens e transmitir", justifica. Para Átilla, o esporte aliado ao marketing e ao entretenimentou ganhou peso. "A transmissão que era um espetáculo, virou um megaepetáculo", acredita.

A partir dos anos 2000, Átilla Eugênio explicou que os jornalistas ganharam uma oportunidade de falar e explorar melhorar os assuntos. O jornalista comparou, por exemplo, Léo Batista (considerado o mais antigo apresentador em atividade na televisão brasileira) e Tadeu Schmidt representantes de diferentes épocas do jornalismo esportivo e com suas respectivas linguagens, sendo uma certinha, quadrada e comportada e a  outra divertida, natural e intimista.

"O esporte no dia-a-dia requer um pouco de atenção", argumenta Átilla Eugênio. O palestrante orientou que é possível se diferenciar através da pesquisa de estatísticas, lembrança de datas importantes e descoberta de histórias.

Além de responder as dúvidas dos acadêmicos de Comunicação Social e profissionais de jornalismo presentes no evento, Átilla Eugêneio recomendou aos universitários a aproveitarem a estrutura e equipamentos da instituição para criar produtos criativos.

O PropUP - Eleve suas ideias foi organizado pelo curso de Publicidade e Propaganda da UCDB e pela Agência Experimental Mais Comunicação.

Comentários

Mais lidas da semana