Pular para o conteúdo principal

Destaques

12 Graphic Novels que você precisa ler

Começou como uma forma de experimentação na leitura. Apesar de gostar de tirinhas, nunca tinha me aventurado pelo universo das graphic novels, como aconteceu há alguns anos – pelo menos, não de forma que me interessasse.

Percebo que cada vez mais pessoas estão se interessando pelos diferentes formatos de narrativas. Acho válida toda forma de contação de histórias e acredito que elas podem criar experiências complementares. Há espaço para todos gostos.


Com doze indicações de leitura, dá para ler um livro por mês ou ler todos em um só mês, dependendo do ritmo de leitura e da fome por histórias de cada um. Entre temáticas mais sociais e outras mais fantasiosas, as graphic novels podem ser uma porta de entrada para outros livros, como podem ocupar um espaço central no coração de quem é aficionado por histórias ilustradas.

Histórias que podem ir muito além de um passa-tempo, como se acreditava antigamente, mas também proporcionar reflexões sobre a vida, juntando o melhor dos dois mundos: d…

Resenha: Anna e o Beijo Francês - Stephanie Perkins


Texto: Ben Oliveira

Anna e o Beijo Francês é o nome do livro escrito por Stephanie Perkins, publicado no Brasil em 2011 pela editora Novo Conceito e conta a história de uma adolescente norte-americana que é obrigada pelos pais a estudar em um colégio e morar na Cidade da Luz, em Paris.

Os primeiros momentos de Anna na nova cidade e no novo colégio foram péssimos para a garota. Ela teve que aprender a falar francês, se virar longe de sua família e se adaptar com os costumes diferentes.

Ao longo do livro o leitor se envolve com a história da protagonista e acompanha a evolução e os dramas da jovem Anna em um colégio voltado para americanos em Paris, desde as primeiras amizades até o seu progresso com os estudos.

Meredith, St. Clair, Josh e Rashimi fazem parte do novo grupo de amigos que Anna conheceu. E apesar de estar cada vez mais ligada a eles, a garota continua com saudades de sua terra natal, sua família, melhor amiga e do garoto com quem tinha se envolvido, mas não o suficiente para chamar de namorado.

Anna se vê presa em uma situação desconfortável ao se sentir atraída por St. Clair, o garoto do colégio pelo qual muitas garotas se apaixonam, incluindo sua amiga Meredith. Além de ser objeto de paixão de uma de suas melhores amigas, o jovem já tem namorada, Ellie, uma garota que costumava ser amiga do grupo em que Anna convive.

Mergulhe em um colégio parisiense e viva junto com Anna os seus dramas relacionados à amizade e primeiro amor. Assim como a maioria dos estudantes de intercâmbio, Anna descobre que seu lar não é mais na sua cidade natal. Apaixonada, para a jovem, Paris também não é onde pertence. "É possível que lar seja uma pessoa e não um lugar?", declara.

Se eu pudesse definir o livro em algumas palavras seriam: dramas adolescentes, romance e "La Vie", a vida francesa. Ao ler a obra, o leitor é teletransportado para a sua adolescência em um país fascinante, como a França, e consegue aprender um pouco mais sobre a língua, a importância das traduções, literatura e cinema, um dos gostos da protagonista que vive assistindo filmes e fazendo críticas, e é claro, sobre alguns dos pontos turísticos da cidade.

Aos que já visitaram Paris, a vontade de retornar à cidade aumenta; e aos que ainda não conhecem, Anna e o Beijo Francês é um convite irresistível à Cidade da Luz, nem que seja ao folhear as páginas do livro e se imaginar em uma das cidades mais encantadoras do mundo.

Comentários

Mais lidas da semana