Pular para o conteúdo principal

Destaques

Sobre rabiscos e telas brancas

A tela branca pode ser um convite à explosão criativa ou uma tortura ao artista que sente seu espírito definhando diante da pesada realidade. Em tempos de crise e ódio, a arte fica esquecida e é vista como desimportante; ironicamente, é quando mais precisamos dela, de algo que nos faça sentir vivo e toque as partes atordoadas.


O som dos dedos se movendo pelo teclado era como fantasmas de uma vida distante. É incrível perceber quantas vezes nós deixamos algumas partes nossas morrerem ao longo de nossas existências; as máscaras, antes tão confortáveis, agora incomodam e não nos servem mais. Leva tempo até ficarmos satisfeitos e ajustados à nova realidade. Viver é admitir que sabemos pouco sobre nós mesmos e há sempre algo novo que pode nos transformar, seja para o bem ou para o mal.

O artista encara a tinta respingando pela tela. Para o espectador sem intimidade, nada faz sentido, a desconexão de ideias é tormentosa; para ele, o lembrete de que sua arte nunca o abandonaria. Como poderia…

Histórias Interrompidas


Texto: Ben Oliveira

Já começou, escreveu ou leu uma história e quando você finalmente conseguiu terminar aquela parte, ela foi bruscamente interrompida? É mais ou menos como um acidente de carro ou como a paixão, seja lá como você queira definir, acontece tão rápido que você nem tem tempo de processar o que está acontecendo.

O problema com tudo o que te encanta de primeira te remete a aquela maldita frase: "Easy come, easy go" – algo como, o que vem fácil, vai mais fácil ainda. E não importa quantas vezes você passe por uma situação assim, é sempre mais forte do que você, a ponto de você conseguir dizer não.

Ele acordou animado para escrever aquele texto. Era como se ele não botasse para fora o que estava sentindo, aquilo consumiria todas as suas energias. Quando a inspiração aparece, é melhor se render e deixar aquele estado frenético passar, do que tentar nadar contra a maré.

E depois de deixar o fogo consumir, você percebe que só restaram cinzas e queimaduras. Aquela história ficou incompleta e o máximo que você pode fazer é joga-la fora ou guardar na sua memória, mas publica-la não era opção.

Talvez nem todas histórias são destinadas a serem grandes romances, no sentido literal da palavra – gênero literário –, talvez algumas não tenham potencial para tal e sejam um daqueles entretenimentos consumidos em uma sentada, como uma crônica ou um conto, e o que as diferenciam é o quanto o leitor sentiu-se preso naquela teia de palavras.

Tal como um conto pode ser muito melhor do que um longo romance, maçante e com excesso de detalhes, existem romances de valores históricos, clássicos da literatura que foram imortalizados.

Contar uma história em poucas palavras pode ser fascinante. Um conto é como uma paixão, tudo acontece tão rápido, omitindo os detalhes pormenores e deixando com gosto de quero mais, mas só o romance torna possível você conhecer um personagem, se identificar e viver uma série de altos e baixos, mergulhar nas centenas de páginas e se contentar com os dramas entrelaçados.

Por mais gostoso que seja ler um conto e se apaixonar, é o romance e o amor que se aproximam da complexidade da vida e seus relacionamentos.

Comentários

  1. Quantas pessoas tem traído o seu senso crítico e vivenciado a omissão de seu real sentimentalismo.
    Páginas em Branco agora escrita por rasuras da incompreensão.
    São erros, acertos e tentativas que nos levam ao encotro do inevitável.

    Como dito e expressado: somente o romance e o amor se aproximam da complexidade da vida e seus relacionamentos,todavia, não deve ser manuseado por outra pessoa e sim compartilhado por ambas. Tendo a percepção de que onde existe amor haverá conflitos.

    Ben Hur os elogios a você tornaram-se redundantes, porém como já verbalizado, dia a dia envista nos contos, crônicas e artigos (textos pessoais/ponto de vista)esse é o seu diferencial. E jamais permita que roubem-lhe a docilidade, pois isso é notório e o faz ser admirado.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Mais lidas da semana