Pular para o conteúdo principal

Destaques

Revolutionary Love: Série coreana de drama explora o abismo que divide as classes sociais

Embora muitos dramas coreanos pequem na representatividade de diversidade racial e deem pouquíssimo espaço para estrangeiros e imigrantes, a série Revolutionary Love (2017) da tvN e no Brasil disponível temporariamente pela Netflix , acaba indo além dos elementos de comédia e romance, mostrando o drama das diferenças de classes sociais , os preconceitos e a possibilidade de imersão nesse mundo desconhecido pelo filho do dono de um dos maiores conglomerados de empresas da Coreia do Sul . A ingenuidade e a ignorância da realidade das classes trabalhadoras tornam o protagonista um tanto embaraçoso, lembrando de forma vaga a jornada de Buda quando conheceu a realidade fora do palácio e foi confrontado com a fome, a doença, a pobreza e a morte. Longe de ser uma série com alguma alegoria espiritual, mas do ponto de vista do comportamento é interessante acompanhar como Byun Hyuk (Choi Si-won) se torna mais empático e humanizado quando seu caminho cruza com o de Baek Joon (Kang So-ra) . E

Perfil do Jornalista Brasileiro


A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) está realizando uma pesquisa para descobrir qual é o perfil do jornalista brasileiro. Os resultados ainda estão sendo gerados e analisados e devem ser divulgados até o final deste mês de março de 2013.

Com esta pesquisa, pretende-se estimar o número de jornalistas em atuação no Brasil no final de 2012, distribuição territorial dos profissionais do jornalismo por estado e suas funções.

Além dos objetivos gerais citados acima, a pesquisa também pretende estimar a taxa de sindicalização dos jornalistas, analisar o impacto dos cursos superiores no mercado de trabalho, relação entre profissionais formados e sem ensino superior na área, entre outras informações interessantes para entender melhor o perfil do profissional de Jornalismo no Brasil.  

Este projeto deve cruzar as informações obtidas com os dados com as listas anuais de egressos de cursos de Jornalismo do país, Jornalistas registrados pelo Ministério do Trabalho e Jornalistas sindicalizados.

Segundo informações publicadas no site do projeto de pesquisa, quase 5 mil jornalistas responderam os questionários do Público. As coletas de dados começaram em setembro de 2012 e encerraram em novembro de 2012.

O projeto de pesquisa está sendo coordenado por professores do Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política da UFSC, do Programa de Pós-Graduação em Jornalismo da UFSC e da Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília.

Para mais informações, acesse o site do projeto Perfil do Jornalista Brasileiro.

Comentários

Mais lidas da semana