Pular para o conteúdo principal

Destaques

Marcel Proust e sua devoção pelos livros

Para o escritor francês Marcel Proust, a relação com os livros era como uma amizade. Enquanto algumas pessoas veem a leitura como perda de tempo, para o autor, era exatamente o contrário; sua infância foi vivida de forma plena na companhia dos seus livros preferidos.

Encontre o livro Sobre a Leitura (Marcel Proust): https://amzn.to/2qRG6LE

"Enquanto a leitura for para nós a iniciadora cujas chaves mágicas abrem no fundo de nós mesmos a porta de moradas em que não conseguiríamos penetrar, seu papel em nossa vida será salutar"– Marcel Proust, Sobre a Leitura
Sobre a Leitura é um livro que traz um prefácio de Marcel Proust escrito para o livro Sésame et les Lyz, do escritor e crítico de arte britânico John Ruskin, em 1905, além de trazer uma entrevista com Céleste Albaret para a jornalista Sonia Nolasco-Ferreira, publicada originalmente na revista 80, em 1983. Céleste cuidou do escritor e sua casa durante dez anos, até sua morte. No Brasil, a obra foi publicada pela L&PM Pock…

Resenha: Design para quem não é designer - Robin Williams

Design para quem não é designer: noções básicas de planejamento visual, escrito por Robin Williams e publicado em 1995 no Brasil, pela Editora Callis, é um livro voltado para quem não tem tempo ou vontade de estudar design e tipografia, mas deseja aprender a criar conteúdos com uma estética melhor.

Como a própria autora lembra o livro não tem a pretensão de formar designers, porém através da apresentação dos conceitos básicos pode-se produzir trabalhos com uma aparência mais profissional, organizada, unificada e interessante.

O livro aborda os quatro princípios básicos do design: contraste (elementos similares em uma página), repetição (organização), alinhamento (aparência limpa) e proximidade (unidade visual).

Com vários exemplos, à medida que o conteúdo vai desenrolando, a autora ensina ao leitor como trabalhar cada um dos princípios básicos do Design. Não basta conhecer a teoria se não é possível colocá-la em prática. Cartões de visitas, capas de relatórios, convites, flyers, diagramação de jornais, revistas e livros estão entre os exemplos citados por Robin Williams.

Por meio da explicação de Robin Williams, quem não é designer consegue entender porque alguns textos ficam alinhados de tal maneira e não de outra, quais são os elementos de repetição que deixam o material com a mesma cara, onde colocar fios, usar negrito, itálico, imagens, símbolos, títulos, subtítulos, textos. Através das dicas transmitidas no livro, aprende-se como deixar o conteúdo visual mais atraente, o que pode ajudar a despertar o interesse dos leitores, absorver as informações com mais facilidade e diferenciar um produto informativo de outro.

A segunda parte do livro aborda a criação através da tipologia (tipos, letras), na qual o autor descreve como é possível conhecer os diferentes tipos de fontes, qual é a mais adequada para determinado material, como combinar mais de uma fonte, de forma a não atrapalhar a comunicação.

De acordo com Robin Williams a relação entre tipos pode ser: concordante (harmoniosa), conflitante (incômoda) e contrastante (visualmente interessante). Aprendendo a importância de combinar fontes, suas similaridades e variações, o leitor consegue evitar problemas na dinâmica dos elementos de uma página.

A autora classifica as fontes em seis tipos: Estilo Antigo, Moderno, Serifa Grossa, Sem Serifa, Manuscrito e Decorativo, explicando como compreender os detalhes das letras e dos seus grupos ajuda na combinação dos tipos. Depois de entender os grupos de tipos, o livro auxilia com várias maneiras de contrastar os tipos a fim de deixar o material com um visual mais interessante e melhorar a comunicação. Entre os contrastes abordados no livro estão: tamanho, peso (espessura dos traços), estrutura, forma (formato), direção (inclinação) e cor (cores quentes e cores frias).

Robin Williams ajuda a transformar o leitor em alguém “visualmente consciente”, termo usado por ela, através dos resumos, desafios, exercícios e propondo processos utilizando cada uma das informações recebidas.

Com uma leitura leve e fácil, recomendo o livro para quem deseja aprender um pouco sobre o universo do design e colocar em prática, como acadêmicos dos cursos de Design, Comunicação Social (Jornalismo e Publicidade e Propaganda) e pessoas interessadas em criar produtos visuais com harmonia, sem se aprofundar no estudo do design, com praticidade. O livro é bem técnico e não traz muitas reflexões, como se fosse uma oficina rápida sobre design, criação de materiais visuais e os seus elementos.

Comentários

  1. Tenho este livro e estou terminando de ler a versão e-book é realmente sensacional e amplia muito a visão criativa de páginas e cartazes em geral. Gostei muito, parabéns pela matéria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado do livro. Também gostei do livro, principalmente por não ter muitos conhecimentos sobre design. É sempre bom aprender! Obrigado pela visita e pelo comentário.
      Abraço!

      Excluir
  2. Era justamente o que eu estava precisando, valeu a dica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Izilda! Fico muito feliz que a recomendação de leitura tenha te ajudado!

      Abraços e volte sempre ;-)

      Excluir
  3. Respostas
    1. Fico feliz em ter ajudado, Ander!
      Gratidão pela leitura e comentário.
      Abraço

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Mais lidas da semana