Pular para o conteúdo principal

Destaques

Autismo: Entre fofocas e intrigas

Aviso aos bonitos e bonitas que sempre jogam meu nome e dos colegas nos grupos de Facebook e WhatsApp: alguém de vocês sempre solta algo e de um jeito ou de outro, chega até mim.


Minha dica é: quer falar mal? Fala à vontade. Se quiser, eu falo junto. Não tenho vergonha de fazer autocrítica, aliás, recomendo a todos.

Agora, se me difamar e/ou queimar minha reputação, o bicho pega.

Nesta página, não trabalho com indiretas. Só com diretas mesmo.

Já disse que nem todo autista é bonzinho, né? 😈

Dica para os anjinhos e neurotípicos: Arranjem hobbies e outros hiperfocos, ocupem a cabeça com outras coisas que não sejam só esse mundinho de intrigas do autismo.

Um grande filósofo pós-moderno, Benstein Oliveira disse que a fofoca viaja à velocidade da luz e que ela vem de todos cantos e cores do autismo. Nem WhatsApp eu uso, mas as conversas de lá sempre chegam aqui. Por que será, gente?

Formado em Harvard na arte das fofocas chegarem até mim. Parece que sou ímã para embuste.


Para os trolls que…

Resenha: Os 100 Segredos das Pessoas Felizes – David Niven

O livro Os 100 Segredos das Pessoas Felizes, escrito pelo psicólogo David Niven e publicado no Brasil, pela Editora Sextante, em 2001. Com 156 páginas, o livro de autoajuda traz conselhos práticos sobre como as pessoas podem melhorar suas vidas e refletirem o que diferencia o feliz do infeliz, com base em mais de mil pesquisas sobre a felicidade.

Não há nenhum conselho tão excepcional que não possa ser óbvio para ninguém. Os segredos das pessoas felizes, como David Niven aponta, estão relacionados ao estabelecimento de objetivos, ter prazer e alegria no que faz, ser otimista, estar sempre aberto a novas ideias, cultivar amizades, entre outros conselhos que são incorporados ao nosso dia-a-dia e nem nos damos conta da diferença que faz em nossas vidas.

Os Cem Segredos das Pessoas Felizes foi escrito na primeira pessoa do plural, segunda pessoa e terceira pessoa. O autor utiliza-se de cada uma das pessoas gramaticais para interagir com seus leitores e fixar melhor o conteúdo da obra. Por exemplo, ao escrever na primeira pessoa do plural ele dá a ideia de união entre os seres humanos, já na segunda pessoa ele convida o leitor a refletir e a terceira pessoa é utilizada para narrar histórias e exemplos sobre cada um dos conselhos.

Apesar de sua obviedade, creio que o diferencial do livro é o seu embasamento em pesquisas científicas. No entanto, é necessário lembrar que a felicidade é subjetiva, logo independente do copo estar meio cheio ou meio vazio, leia-se da positividade e negatividade de cada um e de como as pessoas encaram as diferentes situações da vida, dificilmente o que é melhor para uma pessoa será para a outra.

Segundo David Niven, o que diferencia se uma pessoa está feliz ou não é a maneira como ela enxerga e interpreta o mundo. Portanto, pessoas mais otimistas tendem a valorizar os aspectos positivos e aprendem com as experiências, enquanto as negativas se focam nas coisas ruins.

Alguns conselhos são simples, porém podem fazer a diferença no cotidiano das pessoas, como o simples ato de sorrir e rir, visto que os humanos tendem a imitar as expressões de quem está ao seu redor, por isto ao longo do livro é frisada a importância de sentir-se bem consigo mesmo e se cercar de boas pessoas e bons pensamentos, podendo se contagiar e ajudar aos outros.

Meu conselho favorito do livro foi um relacionado à comparação que as pessoas fazem o tempo todo, em todos os segmentos da vida, mas principalmente quando se tratam de relacionamentos. “Quantas vezes fantasiamos relações ideais entre os outros, achando que só nós temos problemas e conflitos. Mas não há relação perfeita, o que há são pessoas que mistificam seus relacionamentos, querendo dar a impressão de que vivem em uma situação ideal”, declara David Niven. Neste trecho do autor percebemos como usamos sempre os outros como nossos referenciais e apesar do ato por si só ser prejudicial, também se torna irreal se comparar com fantasias e idealizações.

Independente das situações e conflitos, há quem sempre vá levantar a cabeça diante das dificuldades e ser grato pelas vitórias, como há quem nunca vai estar satisfeito e se deixará levar pelos problemas. As pequenas mudanças de comportamento podem ajudar e muito as pessoas a se sentirem melhores, desde aceitando as suas próprias limitações, estabelecendo metas realistas e tendo paciência até saindo da inércia, praticando atividades físicas e se concentrando no que realmente é importante.

Depois de ler o livro, eu diria que não há segredos em ser feliz, basta ser mais consciente dos próprios atos e encarar a vida com otimismo, todo o resto vai se direcionado e inter-relacionando com os outros fatores da felicidade. Ninguém consegue ser feliz 24 horas do dia, sete dias da semana, porém a maneira que reagimos diante das facilidades e dos problemas pode ajudar a desfrutar melhor nossas existências. Entender mais a si mesmo ajuda a aceitar os outros e compreender que mesmo diante das dificuldades, há sempre algo construtivo, uma lição.

Sobre o autor – David Niven é Doutor, psicólogo e cientista social. Niven leciona na Ohio State University. Seus livros da série sobre os 100 Segredos Simples são best-sellers.

Comentários

  1. ... Um baita livro mesmo!
    Aliás encontrei o presente blog ao procurar por tal publicação.
    O tenho há bastante tempo, e o que neste consta: a pura verdade.
    Confesso que uma ou duas coisas poderiam ser retiradas/só que a última DICA (no caso a 100a) deveria ser SIGA TODAS ESSES TÍTULOS.
    E há coisas até banais. Só que têm grande efeito (coisa boa BOTARMOS BONS AROMAS EM NOSSAS CASAS E ELOGIAREM). Ou até mesmo esta estar LIMPA, ORGANIZADA: outra coisa seria MÚSICA. Embora o gosto por tais seja relativo. Há algumas que chocam alguns que os fazem voltar a momentos nada bons (sou um desses).
    É isso. E que possamos viver melhor.

    Tchau (Rodrigo)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rodrigo!
      Fico feliz por seu comentário por aqui. Todo livro pode vir a acrescentar em nossas vidas, aumentar nossas bagagens e nos ajudar a melhorar. Fico feliz que o livro tenha te feito bem. O que nem sempre podemos fazer é levar tudo ao pé da letra.
      Abraços!

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Mais lidas da semana