Pular para o conteúdo principal

Destaques

Sobre rabiscos e telas brancas

A tela branca pode ser um convite à explosão criativa ou uma tortura ao artista que sente seu espírito definhando diante da pesada realidade. Em tempos de crise e ódio, a arte fica esquecida e é vista como desimportante; ironicamente, é quando mais precisamos dela, de algo que nos faça sentir vivo e toque as partes atordoadas.


O som dos dedos se movendo pelo teclado era como fantasmas de uma vida distante. É incrível perceber quantas vezes nós deixamos algumas partes nossas morrerem ao longo de nossas existências; as máscaras, antes tão confortáveis, agora incomodam e não nos servem mais. Leva tempo até ficarmos satisfeitos e ajustados à nova realidade. Viver é admitir que sabemos pouco sobre nós mesmos e há sempre algo novo que pode nos transformar, seja para o bem ou para o mal.

O artista encara a tinta respingando pela tela. Para o espectador sem intimidade, nada faz sentido, a desconexão de ideias é tormentosa; para ele, o lembrete de que sua arte nunca o abandonaria. Como poderia…

Como obter o Registro Profissional de Jornalista Diplomado

Peguei hoje o meu registro profissional de jornalista. Para quem acha que é um bicho-de-sete-cabeças, não se engane, é bem simples dar entrada no processo de requerimento de registro profissional. Em menos de dez dias, o meu pedido foi deferido.


A primeira etapa pode ser feita pela internet, através do Sistema de Registro Profissional – SIRPWEB: http://sirpweb.mte.gov.br/sirpweb/pages/solicitacoes/solicitarRegistro.seam. Você digita o seu CPF, depois preenche os dados necessários, como endereço, telefone, identidade, carteira de trabalho.

Após dar entrada no pedido pela internet, você imprime as duas vias do Requerimento de Registro Profissional, sendo que uma delas fica com você e a outra fica na Superintendência Regional do Trabalho e Emprego, além de uma declaração negativa de ilícito penal. O solicitante tem aproximadamente um mês para protocolar a solicitação, sob pena de invalidação.

Além dos três papeis em mãos, é necessário ir até o Ministério do Trabalho e Emprego de sua cidade e levar os originais e cópias legíveis dos seguintes documentos:

– Carteira de Trabalho e Previdência Social, cópia do número, série e qualificação civil;

– Documento de Identificação;

– Cadastro de Pessoas Físicas (CPF);

– Comprovante de Residência;

– Certidão de Casamento, se houver alteração de nome;

– Declaração negativa de Ilícito Penal;

– Jornalista: Diploma de conclusão de cursos superior (devidamente assinado).

*Detalhe, não esquecer de tirar cópia do verso do diploma também, onde ficam dados importantes.

Na Superintendência ou Gerência Regional do Trabalho e Emprego, o funcionário vai verificar se as cópias estão corretas e ficar com a carteira de trabalho. Depois, é possível acompanhar a análise da solicitação através do SIRPWEB.

PS: Não há taxa para obtenção do registro profissional. Basta apresentar a documentação exigida.

Comentários

  1. ONDE FAÇO CERTIDÃO NEGATIVA DE ILICITO PENAL?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Lê!
      Dá para fazer pela própria internet. Dá uma olhada no link a seguir: http://www.stm.jus.br/servicos-stm/certidao-negativa/emitir-certidao-negativa
      Abraço

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Mais lidas da semana