Pular para o conteúdo principal

Destaques

Autismo: Entre fofocas e intrigas

Aviso aos bonitos e bonitas que sempre jogam meu nome e dos colegas nos grupos de Facebook e WhatsApp: alguém de vocês sempre solta algo e de um jeito ou de outro, chega até mim.


Minha dica é: quer falar mal? Fala à vontade. Se quiser, eu falo junto. Não tenho vergonha de fazer autocrítica, aliás, recomendo a todos.

Agora, se me difamar e/ou queimar minha reputação, o bicho pega.

Nesta página, não trabalho com indiretas. Só com diretas mesmo.

Já disse que nem todo autista é bonzinho, né? 😈

Dica para os anjinhos e neurotípicos: Arranjem hobbies e outros hiperfocos, ocupem a cabeça com outras coisas que não sejam só esse mundinho de intrigas do autismo.

Um grande filósofo pós-moderno, Benstein Oliveira disse que a fofoca viaja à velocidade da luz e que ela vem de todos cantos e cores do autismo. Nem WhatsApp eu uso, mas as conversas de lá sempre chegam aqui. Por que será, gente?

Formado em Harvard na arte das fofocas chegarem até mim. Parece que sou ímã para embuste.


Para os trolls que…

Editora Fubá Books seleciona contos com o tema Medo

A Fubá Books está selecionando contos de autores brasileiros com o tema “Medo”. Os textos devem ser enviados até o dia 3 de novembro, devem ter no mínimo uma página e não precisam ser inéditos.

Editora Fubá Books seleciona contos sobre medo

Serão selecionados 5 contos para compor a antologia. O material será transformado em eBook e disponibilizados sem custo em plataformas de ecommerce, logo não haverá pagamento de direitos autorais.

Os contos devem ser enviados por e-mail para fubabooks@gmail.com.

O regulamento e mais informações podem ser encontradas na página do Facebook da Fubá Books: https://www.facebook.com/fubabooks/

Comentários

  1. Ai eu até queria participar, mas conto não é o meu forte, só sei escrever romances e reflexões, já tentei participar dessas antologias uma vez, mas realmente não consegui, sempre ultrapasso o limite de palavras ou páginas, rs.

    http://www.gotinhasdeesperanca.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Michele! Te entendo. Temos mais afinidades com determinados gêneros. Nem me atrevo a tentar escrever poesia, por exemplo. Ontem enquanto escutava um podcast sobre escrita, lembrei de você. A autora falava sobre um gênero chamado Ensaio Pessoal (Não tão popular no Brasil...). Seria como se fosse uma crônica, na qual você aborda um assunto pessoal e usa elementos da ficção para deixar o texto mais atraente, fazendo o leitor sentir o mesmo que você sentiu.

      Abraços

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Mais lidas da semana