terça-feira, 29 de setembro de 2015

Resenha: Morangos Azuis – Estevam Von Claus

Morangos Azuis é o título do romance escrito por Estevam Von Claus, de 180 páginas, publicado pela Metanoia Editora, em 2015. A narrativa de ficção aborda o amor, a partir de dois planos temporais, nos quais os personagens principais se vêem diante de suas escolhas e também do inevitável, das ações e reações e como o presente e futuro estão relacionados, lembrando o estilo dos livros escritos por autores espíritas.


Byron é um jovem de 17 anos e sua história é narrada em duas épocas diferentes, uma que corresponderia à atual, na Noruega, e outra em 2120, no Brasil. Ele namora Nora, mas começa a se sentir confuso, quando começa a ter visões de Malcoln em seu sonho. Estevam Von Claus trabalha a questão da orientação sexual, levando o leitor a refletir sobre a aceitação seja de si mesmo ou do outro, a partir do momento em que duas pessoas sentem algo mais forte do que elas podem controlar.

O ponto de vista do personagem principal, em primeira pessoa, é intercalado com o de outros personagens, de forma a não limitar somente ao que Byron pensa e sente. O recurso de idas e vindas temporais, além de estarem completamente relacionadas com a premissa da narrativa, torna a leitura mais agradável, fisgando o leitor para diferentes direções.

“Dizem que as estrelas demoram milhões de anos para se formarem e só depois de mais milhares de anos é que começam a despontar em anos-luz o seu fulgor. Ou seja: elas sempre existiram, só não foram encontradas... E quando começam a brilhar, então é que mostram o quanto esperam ser notadas. Assim é o amor: ele existe em todos nós, guardado, e, quando menos se espera, ele desponta, brilha... E nos revela que já estava ao aguardo de quem o merecia ver refletido nos olhos a brilhar...”

A história de Byron e Malcoln vai se desenrolando, gradualmente, ao longo do livro. Os flashes entre as duas vidas desperta a curiosidade no leitor sobre o que virá a acontecer para cada um dos personagens e como seus destinos estão entrelaçados. Quem é o homem dos sonhos de Byron? À medida que o protagonista continua com a sensação de que ama o rapaz, mesmo sem nunca tê-lo visto ao vivo, somente em suas visões, ele começa a questionar sua própria sexualidade.

O pai de Byron, Ico também desempenha um importante papel na narrativa. O homem é um psicólogo que se preocupa com o filho, quando percebe que ele está com dificuldades para compreender o que está acontecendo consigo mesmo e começa a projetar suas frustrações, demonstrando homofobia. Enquanto Ico tenta mostrar para Byron não há nada de errado em relacionamentos amorosos entre pessoas do mesmo sexo e que quando se trata de amor, pouco importa o que os outros consideram certo ou errado, o leitor vai descobrindo que, literalmente, tudo acontece por um motivo dentro do universo de Morangos Azuis.

“Um silêncio ensurdecedor ficou pairado entre os nossos olhos. Não me perguntem de onde viera tanta coragem a queima-roupa para que eu confessasse todo aquele amor tumultuado e transbordante, todo aquele amor congestionado querendo ser dissipado pelos poros, os olhos, os ouvidos, os sentidos...”.

Estevam Von Claus surpreende o leitor com os segredos dos personagens e suas motivações. A cada reviravolta, não tem como não se envolver com a trama até as tão esperadas resoluções dos conflitos internos dos personagens. Há muito mais coisas enterradas no romance do que o leitor pode imaginar.
Para quem esperava só uma história de amor com seus desencontros, vai se impressionar com os elementos secundários, com tanta importância de serem discutidos na literatura contemporânea quanto os relacionamentos homossexuais – os quais não serão comentados para não estragar a surpresa de ninguém, mas tem a ver com a família.

“O amor é a força que procura se sustentar nos corações mais fracos para testá-los, na capacidade de um dia poderem realmente aguentar um grande amor...”.

Morangos Vermelhos ou Morangos Azuis? O autor e seus personagens mostram que o que é diferente para um pode ser comum para o outro. Os diversos planos temporais e suas tramas trabalham com a simetria e o entrelaçamento da planta e colheita. Estevam proporciona um ótimo exercício de consciência para quem consegue se colocar no lugar do personagem. Mais do que uma questão de perspectiva, o romance nos faz questionar sobre as metamorfoses da alma, a transitoriedade, o karma, a aceitação e o amor que ultrapassa as fronteiras do corpo, do espaço e do tempo.

Sobre o autor – Estevam Von Claus nasceu no Ceará e é radicado em São Paulo e Porto Alegre. É autor de narrativas publicadas nos livros Grandes Escritores de São Paulo, O Beijo e Homossilábicas. Formado pelo curso técnico de Comunicação e atuante no desenvolvimento de projetos socioculturais, acredita que o trabalho da escrita edifica o homem e o faz dimensionar melhor os seus próprios caminhos para fortalecer valores e desenvolver atitudes mais assertivas e construtivas. Atualmente, desenvolve roteiros cinematográficos e espera poder, em breve, roteirizar filmes de animação, um público que o instiga a educar pelas letras. Morangos Azuis é o seu terceiro romance.

O livro Morangos Azuis pode ser comprado por meio da loja virtual da Metanoia Editora. Curta a página do livro no Facebook: https://www.facebook.com/morangosazuis1 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comentários Recentes

Me acompanhe no Instagram