Pular para o conteúdo principal

Destaques

Autismo: Entre fofocas e intrigas

Aviso aos bonitos e bonitas que sempre jogam meu nome e dos colegas nos grupos de Facebook e WhatsApp: alguém de vocês sempre solta algo e de um jeito ou de outro, chega até mim.


Minha dica é: quer falar mal? Fala à vontade. Se quiser, eu falo junto. Não tenho vergonha de fazer autocrítica, aliás, recomendo a todos.

Agora, se me difamar e/ou queimar minha reputação, o bicho pega.

Nesta página, não trabalho com indiretas. Só com diretas mesmo.

Já disse que nem todo autista é bonzinho, né? 😈

Dica para os anjinhos e neurotípicos: Arranjem hobbies e outros hiperfocos, ocupem a cabeça com outras coisas que não sejam só esse mundinho de intrigas do autismo.

Um grande filósofo pós-moderno, Benstein Oliveira disse que a fofoca viaja à velocidade da luz e que ela vem de todos cantos e cores do autismo. Nem WhatsApp eu uso, mas as conversas de lá sempre chegam aqui. Por que será, gente?

Formado em Harvard na arte das fofocas chegarem até mim. Parece que sou ímã para embuste.


Para os trolls que…

Resenha: Inverno Negro – Stefano Sant’anna

Inverno Negro é o título do livro de fantasia escrito por Stefano Sant’anna, de 352 páginas, publicado pela Editora Empíreo, em 2016. A obra de ficção leva o leitor a acompanhar as aventuras do jovem Leonan, em uma viagem, literalmente, do Rio de Janeiro direto para terras desconhecidas.


Logo no primeiro capítulo, o leitor conhece um pouco sobre Leonan Albuquerque, um adolescente que não tem muitos amigos, cujo apelido é Calça Jeans e que eventualmente sofre por causa dos ataques epiléticos. A história do garoto com dificuldades de se encaixar vai ganhando mais contorno à medida que descobrimos mais sobre sua real origem.

O romance é narrado em primeira pessoa por Leonan. O protagonista é o tipo de herói que não é muito difícil se identificar: ele está tentando encontrar o seu lugar no mundo e não tem vergonha de admitir que é humano, com suas próprias limitações. Sua busca pela verdade o movimenta ao longo de toda a narrativa e é gostoso acompanhar como ele vai se transformando quanto mais se aproxima de sua verdadeira identidade e dos outros personagens que vão passando pelo seu caminho.  

“A imagem de minha casa sumiu e as luzes se apagaram. Só restou o silêncio, a escuridão. Uma explosão ardeu em meu peito. E, de repente, eu estava morrendo para aquele mundo... Morrendo para um lado, e vivendo para o outro”.

A história começa a se desenrolar logo nos capítulos iniciais, quando Leonan descobre que há uma razão por trás de tanta violência e rejeição por parte de sua mãe, principalmente quando recebe a visita de um guerreiro de outro mundo que acaba transportando os dois pra lá. Deixando sua vida na Terra para trás, Leonan percebe que sabia pouco sobre si mesmo e sua família, e tudo o que sua mãe tinha lhe contado não passara de uma mentira.


Leonan precisa se adaptar à sua nova vida neste outro planeta. Em um mundo em que humanos convivem com diferentes criaturas, o rapaz descobre que é herdeiro de Starlândia. Separado do guerreiro que o levou até lá, ele acaba se aproximando dos irmãos Pittsonn e Samyra que o acompanham em grande parte de sua jornada.

“O Éter é a maior substância presente em Agnithi Vergo, este planeta... Quando a gente desprende a mente do primeiro plano, é possível sentir o que acontece no além-natural, que á outra superfície. O poder do Éter sustenta todas as coisas desde quando o mundo foi criado. Você só precisa senti-lo e aprender a dominá-lo, por isso somos chamados de etéreos”.

O jovem príncipe descobre que o seu pai, o rei desapareceu. À medida que ele se aventura mais por aquele mundo, novos desafios começam a surgir. Leonan precisa aprender a lutar para sobreviver e encontrar uma forma de evitar que o seu planeta seja destruído pelo Inverno Negro. No meio de todas essas dúvidas que vão surgindo, Leonan também repara que o seu bracelete ajuda a ativar o éter e contam para ele que existem outras pessoas e criaturas que dominam diferentes habilidades, como os auim (manipulam a água); faurithi (manipulam o fogo); grabilian (manipulam a gravidade); lhetim (manipulam a terra) e tauim (manipulam a mente).

Em uma batalha entre diferentes reinados e criaturas, em que tantas coisas acontecem, acaba sendo complicado administrar tantos conflitos, personagens e reviravoltas, mas o autor conseguiu amarrá-las muito bem. Leonan leva o leitor para outros planos em busca de coragem e determinação para salvar o pai, os amigos e si mesmo, antes que o planeta mergulhe de vez no inverno negro. 

“Castigados pela dor, permanecemos por bons minutos apenas observando a entrada da floresta. Um vento frio uivava ao redor, fazendo os meus músculos estremecerem por baixo das roupas encharcadas. O arrepio causado pelo frio se somava ao medo que emanava da floresta, correndo a minha coragem...”

Inverno Negro é uma leitura para quem gosta de aventuras e fantasia, se perder em outros mundos e reinados, em que os personagens se cercam de aliados e inimigos e passam por diversos desafios. Stefano Sant’anna criou um universo de ficção sobre um jovem que se vê forçado a enfrentar seus medos e percebe que por trás de todo o deslocamento no mundo em que vivia, havia algo mágico e surreal. Para quem ficou com vontade de mais, Stefano avisa: “... A você, leitor, que deu uma chance a este livro e aceitou embarcar no universo que criei. Tem mais vindo por aí! Aperte os cintos, pois a viagem acabou de começar”.

Sobre o autor – Stefano Sant’anna, o grande Têffo, é formado em Jornalismo (FACHA-RJ) e tem especialização em Produção Editorial (UNESP). Estudou estrutura literária com o autor best-seller Eduardo Spohr, aprimorando a narrativa do Inverno Negro. Colunista do Potterish, já contribuiu com textos para diversos blogs de conteúdo nerd, literário e cultura pop.

Adicione Inverno Negro à sua estante do Skoob! 

Ficou interessado no livro? O livro pode ser encontrado no site da Editora Empíreo e algumas livrarias!

Já leu Inverno Negro? Ficou com vontade? Comente!


Comentários

Mais lidas da semana