segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

O primeiro texto de 2018

Diante de tudo o que aconteceu em 2017, fiquei feliz em ver que alguns leitores elegeram meus livros, Escrita Maldita e O Círculo, entre suas melhores leituras do ano. O ano passado foi bem difícil para muitas pessoas e isso influenciou muito na quantidade e qualidade de leituras.


Presenciei escritores passando por longos bloqueios criativos e crises existenciais, assim como leitores lendo bem menos livros do que nos anos anteriores. A saúde mental faz muita diferença na hora de ler livros. Quando estamos muito presos aos problemas e às preocupações, temos dificuldades de concentração e de nos conectarmos com as histórias.

Enquanto alguns encontram na ficção uma válvula de escape e a experiência de sair um pouco da própria pele, para outros, diante de situações difíceis, os livros acabam perdendo espaço para outras formas de entretenimento – isto quando a importância da leitura de entretenimento não é desmerecida e substituída por obras de não ficção.

Acredito que foi um ano para repensar muitas coisas. No terreno da escrita e da arte, acabamos questionando o valor das produções culturais e artísticas. Foi um ano de apatia, impotência e de se perguntar sobre a importância da literatura seja pelas dificuldades usuais de produzir em um país de não-leitores com um índice baixo de leitura ou de perceber o quanto a ignorância e o ódio ficaram escancarados. É difícil para a ficção coexistir com a vida real, quando nossa realidade se tornou assombrosa. Mas talvez seja só uma questão de perspectiva e de redirecionar o olhar para as coisas que realmente importam.

Em 2018, espero continuar escrevendo minhas histórias e livros e tocando os leitores de alguma forma. A escrita não só entretém e emociona, mas também incomoda e sacode. Ao nos colocarmos no universo do outro, confrontamos nossos próprios limites. Muitas vezes, encaramos nossas sombras, as coisas que nos incomodam em nós mesmos e projetamos ou são projetadas em nós pelos outros e refletimos como construímos, mantemos e destruímos essas relações.

2017 foi um ano difícil e quando as molduras se quebram, precisamos ter a coragem para nos reinventarmos. Quando nos focamos em todas razões para não fazer determinada coisa, esquecemos de todas aquelas que fazem valer a pena. Se analisarmos pelo olhar de quem não aprecia livros, a escrita e a leitura parecem atividades bobas e desnecessárias. Tentar explicar o próprio valor do que você faz pode se tornar um fardo desesperançoso. Porém, quando pensamos em todas aquelas pessoas que dedicaram suas vidas a dar forma para os seus sonhos e em todos tocados pela magia da literatura, nos damos conta de que tudo aquilo que colocamos nossas energias e transformamos, só de ser algo único, já se paga.

Para encerrar o texto e iniciar o ano, um rabisco de 2001 do Neil Gaiman:

“Que seu próximo ano seja preenchido com magia, sonhos e boa loucura. Espero que você leia livros bons e beije alguém que pense que você é maravilhoso, e não se esqueça de fazer alguma arte – escrever ou desenhar, construir ou cantar, ou viver como só você pode. E eu espero que, em algum lugar do próximo ano, você se surpreenda”.



*Ben Oliveira é escritor, blogueiro e jornalista por formação. É autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e dos livros de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1) e O Livro (Vol. 2), disponíveis no Wattpad.

Apoie um escritor brasileiro independente. Aproveite para assistir ao teaser de Escrita Maldita. O título está entre os livros mais vendidos de terror na Amazon Brasil:



Escrita Maldita entre os livros lidos em 2017 pelo Tomo Literário e indicados para leitura

2 comentários:

  1. Oi, Ben, de vez em quando dou uma sumida quando minha mente sobrecarrega, mas sempre volto aqui. Adoro tudo você escreve e espero que continue escrevendo por muitos e muitos anos... ano passado eu não consegui ler tanto quanto gostaria devido a uma queda na minha saúde mental, mas esse ano parece que tudo vai melhorar e pretendo ler muito mais...ainda Curiosa com seu próximo livro!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Michele! Sou super grato por suas visitas, leituras e comentários: significam muito. Super entendo você. 2017 foi um ano bem pesado para a saúde mental de muita gente. O que observei nos grupos de leitores e até nas redes sociais, foi o quanto os problemas externos e internos acabaram influenciando e muito na quantidade de leituras. Estou torcendo para que 2018 seja mais leve. Fico bem feliz com o seu entusiasmo pelo próximo livro.
      Sinta-se abraçada!

      Excluir

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comentários Recentes

Me acompanhe no Instagram