Pular para o conteúdo principal

Destaques

Autismo: Neurociências, ajustes e discussões que vão além do social

O céu de um autista pode ser o inferno do outro. Somos diferentes em todos critérios. Cada caso é um caso.



Comparar um autista como eu, que sou camaleão e tenho autonomia com um que precise de mais apoio e tenha mais limitações sensoriais não seria justo.

Eu ressalto que todo autista deve lembrar disso quando produzir conteúdo. Não adianta achar que existe um modelo único de inclusão, se ao priorizar algumas coisas, você deixa de lado outras. Por isso, abordar a questão do autismo é algo muito complexo. Da mesma forma, que não existe um personagem da ficção ou uma pessoa autista que vai representar o espectro autista inteiro.

Os ajustes que são feitos para alguns, podem ser desajustes para outros. Por isso dizemos que existem vários autismos, independente do grau.
Do mesmo modo que não existem dois autistas iguais, não existem dois aspies iguais (pessoas com Síndrome de Asperger); não existem dois aspies com superdotação iguais (pessoas com Dupla Excepcionalidade). Somos todos diferent…

Meus livros, rankings e gratidão

Ser escritor no Brasil não é nada fácil. Se for autor independente, então... Se deixar, a gente reclama o dia inteiro. Mas tão importante quanto lutar contra a maré, é saber agradecer. Quem me acompanha há um tempo, sabe que eu tenho um mantra que me ajuda a recarregar as energias na minha jornada: celebrar pequenas vitórias. 


Quem está do outro lado da tela ou mesmo quem está perto, nem sempre conhece os sacrifícios que fazemos pelos nossos objetivos e sonhos. Quantas horas você passa se dedicando a atividades enquanto poderia estar dormindo, relaxando ou se divertindo. Escolhas. Diante de tantas pedras, às vezes, você precisa ser um pouco workaholic para ter alguma chance em um mercado tão fechado e competitivo – embora a principal concorrência do escritor brasileiro ainda seja o baixo índice de leitura da população e a preferência por outras atividades, por isso acredito que todo autor precisa ter um lado livreiro, indicando outras obras literárias também. O lado sombrio de ir além dos seus limites é lidar com o esgotamento físico e mental (burnout), mas isso é assunto para outro texto aqui no blog.

Passar madrugadas escrevendo, revisando, produzindo conteúdo, planejando, entre outros projetos/atividades que estou desenvolvendo e acordar e ver o meu livro O Círculo (Os Bruxos de São Cipriano #1) em 33° no ranking de fantasia do Wattpad, entre centenas de histórias publicadas e o meu ebook de terror, Escrita Maldita entre os mais baixados na Amazon na loja Kindle por mais uma semana... É, no mínimo, gratificante.

Números podem ser desencorajadores, mas também podem dar gás. O que mais gosto na internet é como ela ajudou a abrir portas. Meritocracia é um mito, pois não leva em conta inúmeras variáveis, porém não dá para negar que as métricas acabam servindo para estimular produtos culturais que nem sempre tinham espaço nos meios tradicionais. Enquanto nem todo mundo tinha alcance e visibilidade em livrarias e meios de comunicação, com a internet, o próprio leitor incentiva de forma direta ou indireta, seja por meio do boca a boca ou por causa dos algoritmos que revelam quais livros estão entre os mais lidos, mais baixados e/ou mais comprados.

O primeiro capítulo de O Círculo conta com mais de 14 mil leituras no Wattpad, em um total de 93 mil leituras (métrica que calcula a somatória de leituras de cada capítulo). A plataforma de histórias online serve como uma vitrine. Gosto de pensar que mesmo quem não leu o livro até o final, de alguma forma, entrou em contato com minha escrita, até porque de todo mundo que compra um livro impresso seja em livraria ou lojas online, e quando essas obras eventualmente entram para a lista de mais vendidos, não necessariamente significa que todo mundo leu o livro completo. Outro olhar que tenho sobre isso seria o equivalente a alguém entrar na livraria e/ou biblioteca e ler alguns capítulos antes de decidir levar para casa.

Já o Kindle Unlimited com seu programa de leituras e até mesmo o ranking de eBooks – por mais que ele esteja sempre oscilando e seja atualizado a cada hora –, ajudam o autor a compreender quais histórias estão caindo no gosto dos leitores e o leitor a descobrir novos livros de escritores cujas obras nem sempre estão presentes em livrarias tradicionais.

Alguns poderiam alegar que basta uma história estar gratuita ou preço acessível para que os leitores se interessem, mas não é bem assim. Basta lembrar que existem milhares de ebooks de obras da literatura que já caíram em domínio público e não necessariamente são tão lidas, como era esperado por criadores de projetos de popularização de bibliotecas online. Existem milhares de livros publicados em língua portuguesa, sem mencionar os leitores que gostam de ler livros estrangeiros.

Cada leitura é uma pequena vitória para o escritor. Em um mercado tão complexo, nos quais livros não são só produtos, mas também suas experiências, resta a mim agradecer aos leitores que estão me acompanhando e apoiando nesta jornada. Gratidão!

*Ben Oliveira é escritor, blogueiro e jornalista por formação. É autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e dos livros de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1) e O Livro (Vol. 2), disponíveis no Wattpad.

Me acompanhe nas redes sociais e fique por dentro das novidades do blog, dos meus livros e promoções. Inscreva-se no meu canal do YouTube e assista vídeos sobre o universo dos livros:

Comentários

Mais lidas da semana