Pular para o conteúdo principal

Destaques

Antraz: Documentário da Netflix revela investigações feitas pelo FBI durante anos

Um pouco após os atentados terroristas contra as torres gêmeas, em Nova Iorque, Estados Unidos, no 11 de setembro de 2001, uma ameaça de antraz colocou as autoridades, como o FBI em alerta, e espalhou pânico nos norte-americanos devido à facilidade de se espalhar sem as pessoas saberem.  Dirigido e roteirizado por Dan Krauss e produzido pela Netflix e pela BBC, 21 anos após o ataque e o primeiro caso de circulação do antraz, o documentário Antraz: EUA Sob Ataque (The Anthrax Attacks) leva o telespectador para as investigações do FBI que duraram anos. O que a princípio foi alvo de muita pressão para a solução do caso, principalmente pelo medo dos norte-americanos do esporo da bactéria continuar se espalhando pelas cartas e fazendo mais pessoas adoecerem e/ou morrerem, logo foi caindo no esquecimento conforme as investigações desenrolavam fora dos holofotes.  Com a proximidade do caso do ataque às torres gêmeas, à primeira vista, o pânico generalizado fez com quem os norte-americanos

Vídeo: Trechos do livro Em Algum Lugar nas Estrelas (Clare Vanderpool)

Confira o vídeo com três trechos de Em Algum Lugar nas Estrelas, da escritora Clare Vanderpool, um livro de ficção que mostra a amizade entre dois adolescentes: um personagem autista e um não-autista. A literatura pode ser uma ótima forma de levar um pouco de conscientização e também dos leitores se verem representados. A obra literária foi publicada no Brasil pela editora DarkSide Books.


Assista ao vídeo com três trechos do livro Em Algum Lugar nas Estrelas (Clare Vanderpool):




Acredito que a ficção pode ser uma ferramenta importante na conscientização sobre autismo. Quantos livros com personagens autistas você já leu? Quantos personagens autistas você já viu em séries e filmes? Nem sempre os personagens com traços autísticos são identificados como autistas.

Além de ser uma boa forma de explicar para pessoas não-autistas (neurotípicos) alguns dos comportamentos do Asperger (forma leve de autismo), o livro Em Algum Lugar nas Estrelas toca em alguns pontos importantes: a amizade, a solidão e como os relacionamentos podem ser frágeis e mesmo com as limitações, a parte positiva faz tudo valer a pena.

Nós existimos. Nós não somos invisíveis, embora possamos ser tratados como tais e/ou nossos comportamentos nem sempre sejam interpretados da forma correta pelas pessoas ao nosso redor. Embora introvertidos também tenham alguns problemas com amizade, quando se tratam de autistas, a parte da comunicação pode ser afetada pela incompreensão das coisas que fazemos, o que nos faz bem ou mal e como lidar quando temos alguma crise.

Segundo a maior rede social para leitores do Brasil, Skoob, o livro Em Algum Lugar nas Estrelas já foi lido por aproximadamente 5 mil pessoas e mais de 10 mil pessoas têm interesse na leitura. Por falar sobre amizade e indiretamente sobre inclusão, seria interessante ver a obra literária sendo trabalhada em escolas e distribuídas para bibliotecas do país. A leitura é ótima para a empatia e para quebrar o gelo do preconceito.

As crianças e adolescentes autistas merecem compreensão das pessoas, dentro ou fora das escolas, e é importante que apesar das limitações de interesse e de como alguns lugares podem nos fazer mal, que eles também tenham pessoas que possam escutá-los e se interessem por suas companhias. Apesar de geralmente ter um grupo limitado de amizades e de gostar de ficar sozinho, autistas também gostam de socialização, especialmente quando as outras pessoas gostam de assuntos parecidos com o seu hiperfoco.

Compre o livro Em Algum Lugar nas Estrelas: https://amzn.to/2KV869T

Relembre o vídeo com 5 motivos para ler Em Algum Lugar nas Estrelas:



Estou pensando em deixar algumas indicações de filmes com personagens autistas aqui no blog ou no meu canal do YouTube. O que acham?

Aproveite para se inscrever no meu canal do YouTube para ficar por dentro dos vídeos novos: https://www.youtube.com/BlogdoBenOliveira

Me acompanhe nas redes sociais:

Facebook: https://www.facebook.com/benoliveiraautor

Twitter: https://twitter.com/Ben_Oliveira

Instagram: https://www.instagram.com/benoliveira/

Comentários

Mais lidas da semana