Pular para o conteúdo principal

Destaques

I Missed You: Filme taiwanês de drama relaciona os bloqueios emocionais aos digitais

As redes sociais já se tornaram tão parte das nossas vidas que, muitas vezes, servem como um baú de memórias, o qual podemos abrir e fechar conforme nossas necessidades. No filme taiwanês I Missed You , de 2021, dirigido por Chih-Yen Hsu e Mag Hsu , a protagonista é confrontada a encarar os seus bloqueios emocionais e digitais, para descobrir a causa de sua infelicidade. Kuo Chinchin (Eve Ai) é uma programadora viciada em trabalho. Por trás de sua personalidade durona, o telespectador conhece um pouco do seu passado conforme ela decide desbloquear duas pessoas do seu Facebook – de forma paralela a quem está assistindo, a personagem vai mergulhando cada vez mais no seu interior e martelando as memórias, as emoções e as escolhas. Sem exageros dramáticos, o filme tem um toque intimista e promove uma boa reflexão sobre como a tecnologia se tornou uma ferramenta não só para conhecer novas pessoas, mas também para criar mais proximidade ou afastamento das conexões com o passado, servindo pa

Dia do Escritor: Liberado comemorar e choramingar

Alguns dos meus filhos. Tudo começou com Loveless, uma coletânea de contos de ficção com temática gay. Na foto também está faltando o segundo livro da série Os Bruxos de São Cipriano na foto.


Ser escritor no Brasil é penoso. Só quem está na jornada sabe como é. A gente passa por uma espiral de crises existenciais: por que escrever no Brasil se ainda são poucos que gostam de ler? Por que insistir quando as pessoas ainda têm preconceito com autores nacionais?

Escrevo porque é o que eu amo fazer, é o que me move e me faz acordar, sonhar e sentir vontade de viver. Se eu pudesse voltar no tempo sabendo tudo o que sei hoje das dificuldades, uma parte de mim acredita que teria desistido, a outra diria que sou sonhador demais para desistir. Sigo resistindo.

Então, nesse Dia do Escritor tá liberado comemorar e ao mesmo tempo choramingar, pois só a gente sabe o peso das nossas escolhas. Para um autor independente, sou grato de tudo o que já aconteceu.


Remetente N.15 traz um dos meus contos favoritos escritos por mim: A carta de Amélia. Tem um significado especial pra mim, foi através dele que meu namorado e eu nos conectamos. Loveless tem meus dois primeiros contos publicados e o Escritores Perguntam, Escritores Respondem é um bate-papo de 12 escritores nacionais

Mesmo com tantos desafios, ter minhas histórias lidas por milhares de pessoas é gratificante e me lembra que mesmo com tantos motivos para desistir, especialmente os financeiros (em sua maioria, a realidade do autor brasileiro é completamente diferente do autor internacional), sou feliz de saber que minhas histórias tocaram os leitores de alguma forma, proporcionando prazer como outros escritores me proporcionaram. O ciclo se repete: entre o sonho e a maldição. Gratidão!

Assista ao vídeo mais recente publicada no meu canal do YouTube e inscreva-se para ficar por dentro das novidades:



*Ben Oliveira é escritor, blogueiro e jornalista por formação. É autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e dos livros de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1) e O Livro (Vol. 2), disponíveis no Wattpad e na loja Kindle.

Para ficar por dentro das minhas novidades e dos textos novos no blog, me acompanhe nas redes sociais:

Facebook: https://www.facebook.com/benoliveiraautor/

Twitter: https://twitter.com/Ben_Oliveira

Instagram: https://www.instagram.com/benoliveira/

Comentários

Mais lidas da semana