Pular para o conteúdo principal

Destaques

Murder By The Coast: Documentário espanhol da Netflix sobre casos de jovens assassinadas traz dilemas éticos

Murder By The Coast (Homicídio na Costa do Sol/El caso Wanninkhof - Carabantes) é um ótimo documentário de crimes para quem deseja entender os impactos do julgamento antecipado pela imprensa sobre casos mal investigados, influenciando a opinião pública, quando só existem indícios, mas nenhuma prova. Lançado pela Netflix em 2021, o filme espanhol foi dirigido por Tània Balló e roteirizado por Gonzalo Berger . Em mais de 20 anos, muita coisa mudou no mundo. Mas há outras que ainda servem como ótimo exemplo de erros e acertos, especialmente no que diz respeito aos casos criminais, opiniões públicas, preconceitos e faltas de evidências. O documentário traz o caso da adolescente Rocío Wanninkhof que foi assassinada em 1999 e na ansiedade para encontrar um culpado, diante da falta de informações concretas, tudo toma um rumo que se fossem contar, poderiam jurar que se trata de um enredo de ficção. Os depoimentos de profissionais envolvidos ou que estudaram o caso só enriquecem o documentári

Portal Singularidades: Participação em texto sobre Esgotamento de pessoas no espectro autista

Nesta quarta-feira, 24 de julho de 2019, saiu um texto sobre o esgotamento mental e físico de pessoas no espectro autista no Portal Singularidades. No texto, a jornalista traz falas minhas e da escritora Michelle Malab, autora do livro Menina Aspie, e explicações de profissionais sobre essa relação entre sobrecarga sensorial, interações sociais e esgotamento.


Leia o texto: Esgotamento: Como a mente autista reage à sensação de cansaço mental e físico

Muitas pessoas desconhecem como as interações sociais e alguns ambientes repletos de estímulos sensoriais podem provocar desconforto em pessoas no espectro autista. Por mais que alguns autistas tenham mais capacidade inibitória do que outros, isto não significa que nossas mentes e corpos não ficam cansados.

Para quem não está familiarizado com essas questões, o autista pode ser mal-incompreendido e lido como alguém preguiçoso e aversivo, quando em muitos casos, ele está preservando a energia e evitando que tenha uma crise.

Diferente da preguiça, em cenários de esgotamento, o autista pode ficar mais sincero do que o comum, pode ter dificuldade de fazer coisas que são comuns no dia-a-dia e precisa desse tempo para recuperar as energias. Esse tempo vai desde horas até dias.

Sobre a idealizadora – Gabriela Bandeira é jornalista e autora do livrorreportagem Singularidades: Um Olhar sobre o Autismo, que conta histórias reais de mães e crianças diagnosticadas no espectro autista. É editora do Portal Singularidades.

Leia o eBook de Singularidades: https://amzn.to/2JYOKky 

*Ben Oliveira é escritor, blogueiro, jornalista por formação e Asperger. É autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e dos livros de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1) O Livro (Vol. 2), disponíveis no Wattpad e na loja Kindle.



Para ficar por dentro das minhas novidades:


Facebook: https://www.facebook.com/benoliveiraautor/

Twitter: https://twitter.com/Ben_Oliveira

Instagram: https://www.instagram.com/benoliveira/

YouTube: http://www.youtube.com/c/BlogdoBenOliveira

Comentários

Mais lidas da semana