Pular para o conteúdo principal

Destaques

Jessica Jones: Dos Defensores aos Vingadores

SPOILER: JESSICA JONES AMA LUTAR SOZINHA, mas todos heróis trombam com ela. Começaremos em Manhattan, terminaremos na América Latina, Estados Unidos e Rússia; — Jessica Jones, você é uma trapaceira. Você sempre teve muitas vantagens. Permitiram que você cometesse erro atrás de erro. Você não consegue se controlar. Você não tem disciplina. Apenas força bruta! — O que você quer? — Matar você.  — Sei quem você é. Não é um segredo. — Então, você sabe que posso quebrar sua cara? [...] Não preciso da sua ajuda, nem você da minha [...] — Quando você se junta com maníacos, pessoas ao seu redor se machucam. Todo mundo tem sua história: um começo, um meio e um fim. —Jessica Jones, você pensou que poderia salvar o mundo, mas você tem medo de ter falhado. E falhou, porque você não é e nunca será. uma heroína.  — Você ainda é uma heroína se ninguém acredita nisso? — Como se eu desse a mínima para o que os outros pensam de mim...  Leia também: Livro sobre assassinos, serial killers e psicopatas que

Your Name Engraved Herein: Filme taiwanês explora as alegrias e as dores do primeiro amor gay

Para quem gosta de drama com temática gay, o filme taiwanês Seu Nome Gravado em Mim (Your Name Engraved Herein) é uma ótima indicação do que assistir. Dirigido por Kuang-Hui Liu e roteirizado por Yu Ning Chu, a obra de 2020 mostra a força do cinema asiático na produção de histórias emocionantes e nostálgicas e no Brasil está disponível na Netflix.

Ganhador de três prêmios e elogiado por pessoas de inúmeros países, a história do filme se passa no período em que a Lei Marcial de Taiwan, o que acaba sendo interessante de acompanhar pelo momento histórico e pelo lento desenrolar das mudanças na sociedade. A rigidez na educação escolar, punições e tentativas de impor a moralidade aumentam a tensão no relacionamento de dois jovens no último ano do ensino médio brincando com a linha entre a amizade, a paixão e os amores não correspondidos. 

O que torna a história do filme tão memorável não é necessariamente o contexto histórico – embora tenha grande peso nos comportamentos sociais da época em Taiwan –, mas todas as ações e as palavras ditas e não ditas, as emoções que florescem nas entrelinhas, os olhares que não deixam mentir e como os atores conseguiram dar vida com o coração, o espírito e a mente em ebulição da fase de transição das autodescobertas e priorização do futuro profissional.

Chang Jia-han (Edward Chen) e Birdy Wang (Jing-Hua Tseng) são dois jovens estudantes lidando com suas próprias dificuldades de adaptação na escola, que embora o país tenha abolido a Lei Marcial, ainda se mantém vigilante com as propostas de focar na educação e tentar inibir qualquer comportamento que possa desviar a atenção, como o envolvimento entre garotos e garotas e as bagunças dessa fase.

Em um período de homofobia muito forte, onde a violência psicológica e física aconteciam dentro da escola e faziam vista grossa e nas ruas, manifestantes que pediam respeito aos direitos eram presos, não é tão difícil entender a dinâmica entre dois personagens principais que se repete até os dias atuais, mesmo com a maior liberdade em algumas regiões do mundo.

Além das cenas que trazem um gosto de nostalgia e transmitem as memórias e as emoções do primeiro amor e dos relacionamentos de incompletudes, os diálogos dão ao filme um toque realista, especialmente quando um dos personagens vai se aconselhar com o padre e professor de música do colégio: “Você pode gostar de garotas e eu não posso gostar de garotos?”.

Your Name Engraved Herein é um daqueles filmes em que é difícil não se envolver com os personagens e torcer para que eles fiquem juntos no final. A maneira que a trilha sonora se conecta com a história vivida por eles, junto com a fotografia do filme, faz com que tudo se encaixe perfeitamente. 

O filme termina com um gostinho de quero mais, deixando o final em aberto para o telespectador brincar com as possibilidades e aumenta o desejo por mais filmes asiáticos com personagens gays, além de levantar a necessidade de mais discussões sobre o respeito à diversidade sexual pela Ásia. A informação de que parte da história foi inspirada em eventos reais vividos pelo diretor dá um toque biográfico que é possível sentir e captura a magia dos pequenos acontecimentos. 

*Ben Oliveira é escritor, formado em jornalismo. Autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e dos livros de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1) e O Livro (Vol. 2), disponíveis no Wattpad e na loja Kindle.

Comentários

Mais lidas da semana