Pular para o conteúdo principal

Destaques

Criminologia, Jessica Jones e Mulher-Maravilha: Ficar do lado do agressor é sinal de perigo à sociedade – Ben Oliveira

Que dia lindo para servir Karma Coletivo para Diana, Lilith e Nêmesis ao mesmo tempo:  Resistam julgar as pessoas pela aparência. Meus 2 ex-namorados manipuladores se faziam de vítimas e todo mundo ficava ao lado deles e como eu sou porra louca, como Jessica Jones e Malévola, era injustiçado entre quatro paredes e julgado por todos ao redor. Como sou uma vaca, só há duas pessoas com a qual me importo no mundo, minhas duas chamas gêmeas, o resto é indiferente. Ainda assim... Vocês criam cada distorção cognitiva que só por Deus... É muita falta de terapia, autoconsciência, reflexão e bom senso.  Foi você que tava dentro do carro capotado? Foi você que quase morreu? Foi você que teve que recomeçar várias vezes na vida? Foi você que saiu como vilão quando a pessoa era tóxica pra cacete? Não foi. Então, boca fechada, sempre. Opinião só se dá quando é pedida. Sem falar os DELUSIONAIS que ficaram comentando: Que pena, achei que vocês iam casar. Quem quiser casar com ele, passo até o perfil KK

A Gruta: Filme brasileiro de terror com roteiro bom, mas peca nas atuações

A Gruta é um filme brasileiro de terror com um ótimo potencial e roteiro envolvente, mas que se perde nas atuações – com exceção da atriz Carolina Ferraz, no excelente papel de uma freira que é convidada para colaborar com uma investigação policial e conversar com um dos suspeitos de crimes que aconteceram em uma caverna.

Com roteiro e direção de Arthur Vinciprova, o filme de 2020 está disponível na Amazon Prime Video e além do idioma original, também está com legendas e áudios em outros idiomas. Além da história contada, os cenários e a fotografia de A Gruta ficaram excelentes, porém, algumas atuações deram um tom quase que caricato aos personagens, fazendo com que cenas de tensão perdessem o impacto.

Assim, o que tinha potencial para se tornar um filme de terror sobrenatural impactante, vai perdendo sua força com atuações quase que cômicas no local principal em que os eventos se desenrolam. Embora seja uma ideia presente em muitos filmes do gênero, nem por isso A Gruta se torna menos intrigante pela maneira que a história foi contada.

Repleto de claras referências a outros filmes com gênero e temática parecidos, o roteiro gira ao redor de um grupo de pessoas que vai para um passeio em uma gruta, acompanhado por uma guia, e diante de um acidente, não fazem ideia se sairão vivos de lá.

Para entender melhor o que aconteceu lá, uma freira entra em cena e visita o homem no hospital. As linhas entre as memórias, possíveis questões de saúde mental devido aos acontecimentos e o sobrenatural se entrelaçam. O filme termina e deixa o telespectador com vontade de saber mais sobre os elementos sombrios da região da gruta, parte da história que poderia ter sido mais explorada e até abre possibilidade para uma sequência.

*Ben Oliveira é escritor, formado em jornalismo. Autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e dos livros de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1) e O Livro (Vol. 2), disponíveis no Wattpad e na loja Kindle.

Me acompanhe nas redes sociais:

Twitter: https://twitter.com/BenOlivDreamer

Facebook: https://www.facebook.com/BenOliveiraDreamer

Instagram: https://instagram.com/benoliveiradreamer

Comentários