Pular para o conteúdo principal

Destaques

Criminologia, Jessica Jones e Mulher-Maravilha: Ficar do lado do agressor é sinal de perigo à sociedade – Ben Oliveira

Que dia lindo para servir Karma Coletivo para Diana, Lilith e Nêmesis ao mesmo tempo:  Resistam julgar as pessoas pela aparência. Meus 2 ex-namorados manipuladores se faziam de vítimas e todo mundo ficava ao lado deles e como eu sou porra louca, como Jessica Jones e Malévola, era injustiçado entre quatro paredes e julgado por todos ao redor. Como sou uma vaca, só há duas pessoas com a qual me importo no mundo, minhas duas chamas gêmeas, o resto é indiferente. Ainda assim... Vocês criam cada distorção cognitiva que só por Deus... É muita falta de terapia, autoconsciência, reflexão e bom senso.  Foi você que tava dentro do carro capotado? Foi você que quase morreu? Foi você que teve que recomeçar várias vezes na vida? Foi você que saiu como vilão quando a pessoa era tóxica pra cacete? Não foi. Então, boca fechada, sempre. Opinião só se dá quando é pedida. Sem falar os DELUSIONAIS que ficaram comentando: Que pena, achei que vocês iam casar. Quem quiser casar com ele, passo até o perfil KK

Ma: Filme de terror psicológico apresenta personagem obsessiva e perseguidora

Quem gostou de Misery, do Stephen King, sem dúvidas, vai se interessar pelo filme Ma, disponível no catálogo da Netflix Brasil. Imagine uma antagonista tão perturbada com comportamentos e motivações capazes de reunir várias problemáticas em uma só pessoa? 

O filme de terror psicológico foi lançado em 2019, dirigido por Tate Taylor e com roteiro de Scotty Landes. Com um desenrolar inicial lento, o que a princípio parece ser mais um daqueles filmes sobre adolescentes se divertindo e querendo festar escondidos com bebidas alcoólicas, se transforma num espetáculo bizarro de obsessão, perseguição e sobrevivência.

Sem perder o fôlego e o clima envolvente daquelas histórias que te transportam para dentro do filme com um toque de nostalgia das festanças na juventude, lentamente o telespectador vai conhecendo melhor sobre o psicológico doentio de uma mulher capaz de tudo para colocar seus planos em prática.

Se criminologistas procuram entender a relação entre o comportamento criminal e as histórias de vidas dos assassinos e suas vítimas, Ma serve tanto como um conto caucionário sobre o bullying e stalkers, como nos faz refletir sobre como acontecimentos do passado podem afetar a saúde mental a ponto de ter um papel fundamental no desenvolvimento de compulsões, perversões e sadismos, motivados por vingança.

A atriz Octavia Spencer está fantástica no papel de Sue Ann, uma assistente de uma clínica veterinária com seus segredos e que sabe como seduzir suas vítimas para encerrar um ciclo do seu passado. 

O filme fica mais macabro nos minutos finais quando a antagonista não se importa mais em manter a fachada com atos repletos de simbolismos e crueldade – o que pode aparentar meros atos caóticos, há todo um planejamento por trás, revelando um lado ainda mais perigoso e calculista de Ma. Para o filme ficar melhor, só mesmo se tivessem explorado mais o passado da antagonista e a relação doentia disfarçada de superproteção com outra personagem.

*Ben Oliveira é escritor, formado em jornalismo. Autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e dos livros de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1) e O Livro (Vol. 2), disponíveis no Wattpad e na loja Kindle.

Me acompanhe nas redes sociais:

Twitter: https://twitter.com/BenOlivDreamer

Facebook: https://www.facebook.com/BenOliveiraDreamer

Instagram: https://instagram.com/benoliveiradreamer

Comentários

Mais lidas da semana