Pular para o conteúdo principal

Destaques

Criminologia, Jessica Jones e Mulher-Maravilha: Ficar do lado do agressor é sinal de perigo à sociedade – Ben Oliveira

Que dia lindo para servir Karma Coletivo para Diana, Lilith e Nêmesis ao mesmo tempo:  Resistam julgar as pessoas pela aparência. Meus 2 ex-namorados manipuladores se faziam de vítimas e todo mundo ficava ao lado deles e como eu sou porra louca, como Jessica Jones e Malévola, era injustiçado entre quatro paredes e julgado por todos ao redor. Como sou uma vaca, só há duas pessoas com a qual me importo no mundo, minhas duas chamas gêmeas, o resto é indiferente. Ainda assim... Vocês criam cada distorção cognitiva que só por Deus... É muita falta de terapia, autoconsciência, reflexão e bom senso.  Foi você que tava dentro do carro capotado? Foi você que quase morreu? Foi você que teve que recomeçar várias vezes na vida? Foi você que saiu como vilão quando a pessoa era tóxica pra cacete? Não foi. Então, boca fechada, sempre. Opinião só se dá quando é pedida. Sem falar os DELUSIONAIS que ficaram comentando: Que pena, achei que vocês iam casar. Quem quiser casar com ele, passo até o perfil KK

A era da Internet

O texto abaixo foi reproduzido em um blog meu criado especialmente para a disciplina de Tópicos em Comunicação, ministrada pela Prof. Inara Silva, ao 3º semestre do curso de Comunicação Social da UCDB.

O início de uma era

A Internet teve sua origem na década de 60, engana-se quem acredita que no início ela possuía todas as funções e ferramentas que utilizamos em nosso dia-a-dia. A função primordial da internet era militar e educacional.

De acordo com Ruben Zevallos Jr., especialista em projetos para internet desde 1993, a internet ou ARPANET, como era conhecido o projeto, tinha como objetivo "interligar universidades e instituições de pesquisas e militares".

Comunicação sem fronteiras

Se antes os propósitos eram exclusivamente para aqueles fins, atualmente a internet é mais democrática e por ser um meio de comunicação de massa, alcança uma grande quantidade de indivíduos. Diferente do jornal impresso, do rádio e da televisão, a internet não tem fronteiras, tendo ultrapassado os limites geográficos, esta mídia tem o seu próprio local de interação, o ciberespaço.

Do plano real para o virtual

Estamos acompanhando a transição dos átomos para os bytes. Acredita-se que tudo o que puder ser migrado para o meio virtual, eventualmente será. Há alguns anos atrás, não havia a possibilidade que temos agora de:

  • Ouvir suas músicas favoritas sem precisar ir a uma loja de músicas, podendo comprá-las no conforto de sua casa ou ouvi-las gratuitamente.
  • Encontrar diversos tipos de livros para leitura na internet.
  • Assistir filmes, seriados e noticiários na tela do seu computador, com a possibilidade de voltar ou adiantar o que se está assistindo.
Ao mesmo tempo que a internet ganha um destaque em relação aos outros meios de comunicação de massa, ela agrega os vários tipos de mídias, tornando possível o que nunca fora antes, a interação multimídia.

Referências

JUNIOR ZEVALLOS, RUBENS "A História da Internet"

Disponível em http://www.artigonal.com/tec-de-informacao-artigos/a-historia-da-internet-737117.html

Comentários